segunda-feira, junho 25, 2018
Home > Notícias do Sindicato > Contraf-CUT dá início à Campanha Salarial dos Financiários 2010

Contraf-CUT dá início à Campanha Salarial dos Financiários 2010

A Contraf-CUT começou o processo de organização da Campanha Nacional dos Financiários 2010. Representantes de quase todo o país participaram da reunião ocorrida nesta terça-feira, 25, na sede da Confederação, em São Paulo, que discutiu a estratégia da campanha e revisou a minuta de reivindicações da categoria, a ser entregue para a Fenacrefi na próxima semana.

A convenção coletiva firmada entre a Contraf-CUT e a Fenacrefi (entidade patronal das financeiras) se estende a todas as sociedades de crédito, financiamento e investimento, ou seja: financeiras, inclusive aquelas organizadas como carteiras de instituições financeiras múltiplas; sociedades de crédito imobiliário; associações de poupança e empréstimo; sociedades de investimento; companhias hipotecárias; e companhias de micro-crédito e micro-empreendedor.

A minuta de reivindicações se divide em três grandes temas: remuneração, emprego e saúde, condições de trabalho e segurança.

"Um dos principais focos da campanha será a questão do emprego, uma vez que a partir da crise de 2008, houve grande número de demissões no setor. E mesmo antes disso, num período de forte expansão do crédito, as terceirizações, via correspondentes bancários e promotores de vendas, ameaçavam os trabalhadores e precarizavam as condições de trabalho", afirma Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT.

Quanto à remuneração, os financiários vão lutar por aumento real de salário. Segundo o ICV do Dieese, a inflação projetada para o período de 31 de maio de 2009 a 1º de junho de 2010 (data-base dos financiários) é de 5,72%.

Outra questão importante é a cláusula a respeito da extensão e abrangência das negociações. Os trabalhadores reivindicam que o acordado com a Fenacrefi seja estendido a todos os financiários, em todo o país. "Hoje, além da negociação com a Fenacrefi, ocorrem negociações próprias por estado, como Rio Grande do Sul e Minas Gerais, entre outros", diz Miguel. "Nossa intenção é construir uma Convenção Coletiva de Trabalhão nacional, a partir da experiência dos bancários. Isso se justifica, uma vez que a maioria das financeiras tem presença nacional e são controladas pelos grandes bancos do país", completa.

A Contraf-CUT anunciou ainda que irá elaborar jornal específico nos próximos dias, tratando da negociação dos financiários de 2010.

A minuta deverá ser disponibilizada pela Contraf-CUT para as entidades sindicais nesta quarta-feira, 26. Os sindicatos devem atentar para os prazos e procedimentos já divulgados pela Confederação com outras orientações jurídicas.

Fonte: Contraf-CUT