segunda-feira, agosto 20, 2018
Home > Campanha Nacional > Campanha Nacional 2012 > A nova classe C brasileira forma o 18º maior ‘país’ do mundo em consumo

A nova classe C brasileira forma o 18º maior ‘país’ do mundo em consumo

Se a classe média brasileira formasse um país, seria o 12º do mundo em população e a 18ª nação em consumo, podendo pertencer ao G20, aponta pesquisa divulgada nesta terça-feira (18) pela Serasa Experian e pelo Instituto Data Popular. A pesquisa considera classe C as famílias cuja renda mensal per capita (por pessoa) varia de R$ 320 a R$ 1.120.

A classe C, como também é conhecida, gastou mais de R$ 1,17 trilhão em 2013 e movimentou 58% do crédito no Brasil, segundo o estudo.
A pesquisa “Faces da Classe Média” mostra que esse segmento do país era composto por 108 milhões de pessoas em 2013 (54% da população), com previsão de chegar a 125 milhões em 2023. O que representaria 58% da população.

A pesquisa dividiu a classe média em quatro grandes grupos: promissores (19%), batalhadores (39%), experientes (26%) e empreendedores (16%).

A pesquisa mostra que a classe C está mais concentrada na Região Sudeste do Brasil, com 43%, seguida de Nordeste (26%), Sul (15%), Centro-Oeste (8%) e Norte (8%).

Segundo a classificação feita pelo estudo, o segmento dos promissores representa o grupo da população mais jovem e os formadores de opinião. Os batalhadores são aqueles que acabaram de sair da classe D e geralmente passaram a ter emprego com registro em carteira. O grupo dos experientes é formado predominantemente por chefes de família aposentados e com baixa escolaridade. Já os empreendedores são classificados pela pesquisa como “a classe A da classe C”, aqueles que acreditam no poder do próprio negócio.

Viagens e aparelhos de TV

O levantamento fez também uma projeção dos gastos desta “nação” de consumidores em 2014. Segundo a pesquisa, nos próximos 12 meses, a classe média pretende consumir 8,5 milhões de viagens nacionais, 6,7 milhões de aparelhos de TV, 4,8 milhões de geladeiras, 4,5 milhões de tabletes, 3,9 milhões de smartphones, 3,2 milhões de viagens internacionais, 3 milhões de carros e 2,5 milhões de casas ou apartamentos.

Os gastos com alimentação lideram o consumo da classe C, tendo movimentado R$ 223,3 bilhões no ano passado. Em seguida, segundo o estudo, vêm os gastos com saúde (R$ 71,8 bilhões) e vestuário (R$ 61,6 bilhões).

“Observamos uma tendência de crescimento dos gastos com serviços de educação, de beleza e produtos e serviços relacionados com tecnologia”, afirmou Renato Meirelles, presidente do Data Popular.
Segundo Meirelles, as profissões mais típicas da classe C são as relacionadas a serviços de beleza, caixas de supermercados e lojas, representantes comerciais e vendedores e atendentes.

A parceria da Serasa e do Data Popular visa colher dados para entender os diferentes perfis e comportamentos dessa numerosa parcela da população. “Entender as várias faces deste público é fundamental para que as empresas e o poder público desenvolvam estratégias mais eficientes de marketing e comunicação”, disse Meirelles.

Fonte: G1 / Darlan Alvarenga