Bancários mostram números da violência contra bancos na Paraíba em coletiva de imprensa e cobram aplicação da lei

ColetivaImprensa ContrafCUT
Nesta quarta-feira (6), o Sindicato dos Bancários da Paraíba concedeu entrevista coletiva para apresentar os números da violência contra bancos na Paraíba, que bateu o recorde de ocorrências em 2015. Aos profissionais dos principais veículos de comunicação da Capital, os bancários pediram mais atenção à legislação que trata da segurança bancária no Estado, solicitando a aplicação da legislação pertinente e a punição dos que a descumprirem.

A assessoria de imprensa da Entidade apresentou os números da violência apurados nos últimos cinco anos, além do mapeamento das modalidades de crimes e os 132 ataques a bancos nas quatro mesorregiões da Paraíba durante o ano de 2015. A maior parte das ocorrências foi de explosão, com 76 casos, que representa 57,58% das modalidades criminosas praticadas. O alvo preferido dos bandidos continua sendo o Bradesco, com 67 crimes, ou seja, 50,76% dos bancos atingidos.

O presidente do Sindicato, Marcos Henriques, ressaltou que o número de crimes envolvendo bancos o ano passado poderia ter sido menor, caso as medidas legais tivessem sido postas em prática e contássemos com um aparato policial adequado qualitativa e quantitativamente.

“Temos uma legislação moderna, focada na prevenção da violência, que precisa ser posta em prática e sistematicamente fiscalizada, punindo os que descumprirem as leis de segurança. E também necessitamos de um policiamento preparado e em quantidade adequada à demanda. Por isso vamos continuar buscando soluções para os problemas da violência, especialmente as praticadas no segmento bancário”, concluiu Marcos Henriques.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail
Topo