segunda-feira, julho 23, 2018
Home > Destaques > Um ano de golpe, um golpe por dia

Um ano de golpe, um golpe por dia

Reprodução

No dia 12 de maio de 2016, há exatamente um ano, o Senado Federal chancelou o golpe parlamentar contra a presidenta Dilma Rousseff. Uma manobra comandada pelo então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, atualmente preso por corrupção. Desde então, o país vive um ataque frontal aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras por um governo sem voto e rejeitado por 61% dos brasileiros, de acordo com a última pesquisa Datafolha.

Mergulhado em corrupção e descrédito popular, o governo usurpador de Michel Temer já demoliu vários programas de inclusão social conquistado a dura pena através da luta dos movimentos sociais e sindicais. A começar pela Agricultura Familiar, setor do qual o governo tirou R$ 160 milhões dos recursos do Programa de Aquisição de Alimentos. Mais de 40 mil agricultores e duas mil cooperativas ficaram ameaçados de sair do programa.

No levantamento Um Golpe Por Dia, (clique aqui para ver na íntegra) feito pelo Portal Alerta Social, fica claro que houve um desmonte atrás do outro nesses 365 dias nas áreas da educação, cultura, saúde, comunicação, habitação, assistência social, direitos humanos e outras.

O documento cita ainda a aprovação das PECs (Proposta de Emenda Constitucional) que congelam por mais de duas décadas os investimentos na área social – faz também um balanço do impacto que as medidas terão para a população de baixa renda.

“A cada mês foi destacado uma política pública e como ela está sendo desmontada. Esse caminho dá a noção de como um projeto sem voto, de desenvolvimento excludente, com visão de Estado mínimo, com práticas autoritárias, de salvaguarda aos interesses do capital nacional e internacional se instala e ganha vigor no Brasil”, diz parte do documento que contém 80 páginas.

Para os trabalhadores, é particularmente grave o fato de que o levantamento destaca o ataque aos direitos trabalhistas em março deste ano, quando “veio o tiro no peito da CLT” e neste mês de maio, com a Reforma da Previdência, que está nos deixando “ameaçados de trabalhar até morrer”.

A publicação faz uma análise de como a política econômica e social de Temer traz profundos retrocessos na condução de políticas públicas, com as Reformas da Previdência e Trabalhista. Foi através dessa pesquisa que surgiu o portalAlerta Social – Qual direito você perdeu hoje”.

“Os brasileiros se viram paralisados diante de uma avalanche de perdas de direitos”, reforça o documento.