segunda-feira, julho 23, 2018
Home > Destaques > Entre a baderna e as bombas, bancários da Paraíba exigem Fora Temer e Diretas Já!

Entre a baderna e as bombas, bancários da Paraíba exigem Fora Temer e Diretas Já!

Três representantes dos bancários da Paraíba, os diretores: Edson Borges, Rosbon Araújo e Francisco de Assis (Chicão) participaram nesta quarta-feira (24), da manifestação na capital federal, ao lado de mais de 200 mil trabalhadores, contra retirada de direitos, pelo fora Temer e por Eleições Diretas Já! A mobilização foi organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), demais centrais sindicais e movimentos sociais.

Os sindicalistas paraibanos uniram-se aos trabalhadores de várias outras categorias e movimentos sociais, que foram em caravanas de diversos estados para reforçar a mobilização.

Ante a cobertura manipulada da grande mídia, que só deu destaque à ação dos anarquistas, o ex-ministro Gilberto Carvalho fez uma avaliação detalhada sobre o Ocupa Brasília, mostrando os dois lados da manifestação.

“Vimos um ato que custou tanto empenho de unidade se dispersar em atitudes irresponsáveis de grupos anarquistas, cujo esporte preferido da provocação inútil era quebrar tudo e tocar fogo, que nada tinha a ver com o movimento. Do outro lado, a polícia praticava seu esporte favorito, mandando bomba e dispersando os manifestantes… Não houve um minuto de paz para celebrar aquele momento vitorioso. Ante as bombas e gás o tempo todo, os manifestantes foram uns verdadeiros heróis, por manterem a serenidade e a firmeza, entre os baderneiros e a truculência policial”, arrematou o ex-ministro.

O diretor do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Francisco de Assis (Chicão), que participou do Ocupa Brasília com mais dois diretores, avaliou positivamente a postura dos trabalhadores e repudiou os ataques dos mascarados, depredando o patrimônio público, bem como o uso de tropas federais para conter as manifestações.

“Atribuir o vandalismo ao movimento sindical e social organizado é lamentável e temerário, pois os cerca de 50 mascarados, supostamente infiltrados, tinham como objetivo a depredação e não confrontaram a polícia, que preferiu lhes ignorar e se limitou a jogar bombas nos manifestantes. Enquanto isso, o governo lançou mão das Forças Armadas para tentar calar os trabalhadores. E essa postura foi um prato cheio para a mídia venal, especialmente a Globo, que em suas reportagens só deu destaque às vidraças quebradas, mascarados apedrejando e ateando fogo ao patrimônio do povo. Entretanto, protestamos de forma firme e ordeira, conduta que norteou nossa ida à Capital Federal. O nosso foco era  protestar contra todas as medidas que retiram direitos dos trabalhadores e ameaçam as aposentadorias, bem como exigir o imediato afastamento desse pseudo governo que agoniza à espera de uma saída costurada por cima, que nós haveremos de inviabilizar pela continuidade de atos como este de Brasília, em nova greve geral e massivos atos pela reconquista dos direitos trabalhistas históricos, em defesa da Previdência Social, Fora Temer  e  Eleições Diretas Já!” concluiu Chicão.

Fonte: Seeb-PB