Dois táxis transportando malotes das agências do Bradesco de Tauá e Iguatú foram assaltados, ontem pela manhã, nos municípios de Quiterianópolis e Acopiara. Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI), os ladrões levaram R$ 90 mil.

O primeiro crime ocorreu na localidade de Sítio Baixio, a poucos quilômetros da cidade de Quiterianópolis, na Região dos Inhamuns. De acordo com a Polícia, três homens teriam praticado o roubo. As vítimas estavam numa Parati (táxi) de placas HYA-2018, conduzida pelo motorista Francisco Epifânio Neto e, na qual, viajavam os bancários Marcos David Gonçalves e Francisco Cícero Lima, do Bradesco de Tauá. Os bancários transportavam R$ 60 mil em espécie para a agência do banco em Quiterianópolis. Dois homens foram presos. Eles seriam foragidos da Justiça, conforme o CPI.

O segundo caso aconteceu em Acopiara. O bancário Wannick Batista Pinheiro, 21, da agência do Bradesco de Iguatú, e o taxista Joaquim Medeiros de Freitas, 44, foram abordados por dois homens que estavam em motos na estrada que liga a cidade a Irapuan Pinheiro, na Região Centro Sul. As vítimas foram rendidas, amarradas e trancadas no porta-malas do táxi. Os assaltantes fugiram levando o malote com R$ 30 mil.

O caso mobilizou policiais da 2ª Companhia do 2º Batalhão (Iguatú), além de PMs do destacamento de Acopiara, mas os assaltantes não foram capturados.

Carlos Colares, diretor do Sindicato dos bancários do Ceará (Seeb/CE) e funcionário do Bradesco afirma que nas cidades de Quiterianópolis e Irapuan Pinheiro não há agências, e sim postos de atendimento. Ainda diz que os municípios são abastecidos por agências sem carro forte e por meio de taxistas e funcionários. "Isso ocorre em todo Estado do Ceará", alerta Carlos. "Os bancários das agências e postos de atendimento, principalmente os que estão no interior do Ceará, estão sofrendo com a falta de segurança. Isto tem que acabar", finaliza.

Fonte: Seeb/CE, com Jornal O Povo