Febraban quer que agências e concentrações funcionem no aniversário de emancipação municipal. – São Paulo – Desde que tomou conhecimento da decisão judicial que permite aos estabelecimentos bancários funcionarem no feriado do aniversário da cidade de Osasco, em 19 de fevereiro, o Sindicato tem mobilizado vereadores, trabalhadores de outras categorias e a população local para pressionar a federação dos bancos (Febraban) a respeitar o direito dos trabalhadores e dos moradores da cidade.

Na terça e quarta-feira, dias 10 e 11 de fevereiro, os dirigentes sindicais realizaram atos no centro de Osasco e na Cidade de Deus, além de participarem de sessão da Câmara dos Vereadores denunciando a postura da Febraban. "Essa atitude fere a autonomia da cidade. Todos os municípios do país fazem da data da emancipação um momento de reflexão política e social. A Febraban está desconsiderando toda uma história de luta ao entrar na justiça para fazer com que os bancos funcionem em pleno aniversário da cidade", critica o funcionário do Bradesco e vereador de Osasco Rubens Bastos (PT) que assumiu compromisso de apresentar moção de repúdio contra a atitude dos bancos.

A briga – Segundo uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, atendendo a um recurso da Febraban que questionou a constitucionalidade do feriado local, todos os estabelecimentos bancários poderão funcionar normalmente no dia 19, quando Osasco completa 47 anos de emancipação política.

A decisão foi contestada pela Prefeitura e aguarda julgamento de recurso junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, como ainda não houve julgamento, as instituições financeiras estão livres para funcionar no feriado.

"Caso os bancos desrespeitem o feriado da cidade obrigando os bancários a trabalharem no dia 19, iremos cobrar o pagamento de hora extra com o percentual de 100%", avisa a secretária-geral do Sindicato, Juvandia Moreira.

Fonte: Jair Rosa