A Nossa Caixa espera que a carteira de crédito da instituição apresente neste ano um crescimento de 30%. A maior expansão deverá ocorrer nas operações destinadas a pessoas jurídicas, em que a previsão é de um aumento entre 30% e 35%. Para a pessoa física, a projeção é que o total de empréstimos cresça entre 20% e 25%. Essas expectativas não incluem compras de carteiras de crédito.

No ano passado, a carteira da Nossa Caixa chegou a R$ 12,9 bilhões, um crescimento de 12,2% no trimestre e de 47,6% no ano. As operações para a pessoa física somaram R$ 9,9 bilhões, alta de 49,7% em 12 meses, e das pessoas jurídicas chegaram a R$ 3 bilhões, uma expansão de 40,9%.

O presidente da instituição, Milton Luiz de Melo Santos, afirmou que no ano passado foi feito um esforço para o aumento das operações de crédito junto a pessoa física, em especial os servidores públicos do Estado de São Paulo. Em março de 2007, a Nossa Caixa pagou R$ 2 milhões para fazer a gestão dessa folha de pagamentos por um prazo de cinco anos. Segundo o executivo, as operações com esse público já renderam uma receita bruta suficiente para cobrir o investimento.

No ano passado, a Nossa Caixa apresentou um lucro de R$ 647 milhões, valor 113,3% maior do que o registrado em 2007. Esse desempenho foi possível graças à ativação de R$ 411 milhões em créditos tributários no segundo trimestre do ano passado. No quarto trimestre, o lucro foi de R$ 51 milhões, ante prejuízo de R$ 15 milhões entre outubro e dezembro de 2007.

Diferente de outras instituições, a Nossa Caixa decidiu não fazer uma grande elevação da provisão para créditos de devedores duvidosos, que passaram de R$ 761,86 milhões no terceiro trimestre para R$ 806,42 milhões no quarto trimestre.

Consignado – A Nossa Caixa comprará neste ano R$ 3 bilhões em carteiras de crédito de outras instituições financeiras. De acordo com o presidente do banco, o valor a ser pago decorre das novas operações de crédito que serão feitas pelas instituições que já têm acordos de cessão de carteira com a Nossa Caixa. Os acordos serão mantidos com o início da gestão do Banco do Brasil, prevista para começar em 10 de março. "É claro que para o BB interessa que se ampliem os negócios da Nossa Caixa", disse. No ano passado esses acordos geraram R$ 1,9 bilhão para a carteira da Nossa Caixa.

A Nossa Caixa também passará a comprar carteiras de financiamento a veículos seminovos de bancos de montadoras. Os recursos virão de parte dos R$ 4 bilhões destinados a esses bancos, em dezembro do ano passado, para o financiamento de veículos novos. Segundo o executivo, desses R$ 4 bilhões, até agora R$ 400 milhões foram liberados para veículos novos. "As montadoras perceberam que não adianta ter recurso para o veículo zero se não há como financiar o usado", afirmou.

Fonte: Agência Estado / Ana Paula Bibeiro