O Credit Suisse anunciou ontem que obteve um lucro líquido de 2 bilhões de francos suíços (US$ 1,71 bilhão) no primeiro trimestre, duas vezes acima do esperado por analistas. O banco, sediado em Zurique, se recuperou de um prejuízo de 2,15 bilhões de francos no primeiro semestre de 2008. A instituição ainda informou que continua otimista sobre suas perspectivas. O segundo maior banco da Suíça superou as expectativas ao ter uma forte performance nas unidades de banco de investimento e de gestão de fortunas.

O banco divulgou receitas de corretagem de 4,9 bilhões de francos suíços, enquanto a área de gestão de ativos continuou no vermelho. "Continuamos otimistas sobre as perspectivas para o Credit Suisse, principalmente no contexto do setor como um todo", disse o presidente-executivo, Brady Dougan, em comunicado. O banco continuou a cortar posições de risco e conseguiu ampliar sua base de capital para um índice tier 1 de 14,1%.

Analistas consultados pela Reuters esperavam que o Credit Suisse tivesse um lucro líquido de 948 milhões de francos suíços. O lucro do banco foi anunciado enquanto as perspectivas de resultado para o rival UBS são de prejuízo de 2 bilhões de francos suíços no primeiro trimestre.

O Credit Suisse divulgou uma baixa contábil de 1,4 bilhão de francos suíços depois de reduzir em mais 31% a maior parte de seus ativos ilíquidos.

Enquanto isso, a divisão de private banking teve entrada líquida de 11,4 bilhões de francos, uma indicação de que o banco continua atraindo clientes abastados, apesar da pressão global contra as práticas de sigilo bancário da Suíça.

"Esses resultados dão a forte impressão de que o Credit Suisse está aumentando a sua participação em administração de grandes fortunas e na área de banco de investimentos, enquanto os concorrentes estão em situação caótica", disse Huw van Steenis, analista do Morgan Stanley, que recomenda aumentar a exposição a papéis da empresa. (com Blooomberg)

Fonte: Agência Reuters / Lisa Jucca, de Zurique