São Paulo – Representantes dos trabalhadores e a direção do Santander e do Call Center do Real debateram nesta quarta-feira, dia 13, os problemas do departamento que vêm atormentando os bancários.

Durante a negociação, o Sindicato dos bancários de São Paulo cobrou equiparação salarial, fim das metas abusivas e da hora extra obrigatória no setor de Apoio a Canais e Clientes (SAC), no SP1 e SP2 do Call Center, manutenção da ginástica laboral com a intensificação da blitz de fisioterapeutas e solução para as folgas referentes. Neste caso específico, os dirigentes sindicais apresentaram uma proposta que visa acabar com o problema.

Durante a reunião, outros assuntos relacionados às condições de trabalho também foram abordados. "O debate vai continuar, os bancários esperam que o banco apresente uma solução que acabe definitivamente com esses velhos problemas", afirma a funcionária do Real e diretora do Sindicato Karina Carla.

A reunião continua nesta quinta-feira, dia 14. Os bancários devem acompanhar as negociações e informar o Sindicato de São Paulo caso o acordo não esteja sendo cumprido.

Fonte: Carlos Fernandes – Seeb/SP