A falta de funcionários na rede de agências levou o HSBC, o Itaú e o Santander a ocuparem as primeiras posições em abril no ranking de reclamações por clientes no Banco Central (BC). A lista, divulgada no início de junho, revela que o maior índice de registros negativos foi outra vez para o HSBC.

Nos últimos doze meses, o banco inglês aparece em primeiro lugar nada menos que dez vezes e, quando não "venceu", em dezembro de 2008 e fevereiro deste ano, apareceu em terceiro lugar.

Não é à toa que a contratação de funcionários foi uma principais reivindicações aprovadas no Encontro Nacional de Dirigentes Sindicais do HSBC, ocorrido na semana passada, em Curitiba.

Como se não bastasse a carência de pessoal, o banco vem dispensando empregados, acentuando os problemas crônicos no atendimento, que acarretam, ainda, a sobrecarga de trabalho e um grau de adoecimento cada vez maior.

Fusões com demissões faz mal

Também chama a atenção o fato de o Itaú e o Santander, envolvidos em processos de fusão com o Unibanco e o Real, respectivamente, figurarem em segundo e terceiro lugares da lista de reclamações de abril. Aliás, nos últimos 12 meses, o banco espanhol apareceu 11 vezes entre os cinco mais reclamados, liderando a lista uma vez e seis vezes na vice-liderança.

Já o Itaú apareceu nove vezes nas 12 últimas edições, sendo que nos dois últimos meses foi o segundo colocado.

"Esse quadro reforça a importância do centro de recolocação, já negociado com os dois bancos, para remanejar funcionários dos centros administrativos para as agências, como forma de evitar demissões e melhorar o atendimento aos clientes", destaca o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro da Silva.

O Bradesco e o Banco do Brasil (que incorporou a Nossa Caixa) completam a lista dos cinco mais reclamados, ocupando o quarto e o quinto lugares, respectivamente.

A Contraf-CUT reitera a necessidade de melhoria no atendimento, o que passa pela contratação e remanejamento de trabalhadores para a rede de agências, bem como pela redução dos juros, tarifas, spread bancário e filas.