O Bradesco e o Banco do Brasil (BB) vão registrar ganho de R$ 3,415 bilhões no segundo trimestre com venda de parte de suas participações na administradora de cartões de crédito VisaNet, que estreou na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) na véspera.

O Bradesco informou lucro bruto de cerca de R$ 2 bilhões com venda de cerca de 10,5% de sua participação na VisaNet. O banco manteve parcela de 28,76% na maior administradora de cartões do País.

Já o Banco do Brasil divulgou que terá receita antes de impostos de R$ 1,415 bilhão com venda de parcela de 7,05% na VisaNet. O banco tinha participação de 31% na empresa.

Ainda fazem parte do conjunto de controladores da instituição o Santander e a Visa International.

Além do ganho com a venda de parte da VisaNet, o Bradesco informou que o resultado do segundo trimestre será impactado por provisão adicional para devedores duvidosos de R$ 1,3 bilhão, antes de impostos. Segundo o banco, a medida foi tomada para "suportar eventuais cenários cíclicos, com aumento dos índices de inadimplência e/ou alterações no perfil de risco da carteira de crédito".

O Banco do Brasil, por sua vez, informou ainda que terá impacto no balanço do atual trimestre de provisão adicional de R$ 676 milhões antes de impostos.

A oferta inicial de ações da VisaNet foi a maior operação do gênero do mundo este ano, levantando R$ 8,4 bilhões. As ações da empresa encerraram na véspera em alta de 11,8%, movimentando 45% do volume do pregão na Bovespa, de R$ 6,39 bilhões.

Fonte: Primeira Edição