Conferência estadual definiu também proteção ao emprego e PLR maior como prioridades a serem levadas para o debate nacional da categoria – (São Paulo) Os bancários do Estado de São Paulo defendem reajuste salarial de 10% como proposta de reivindicação para a Campanha Nacional 2009. O índice representa aumento real de 5%, para uma inflação projetada de 4,72% no período de 2008 a agosto de 2009. A data-base da categoria é 1º de setembro. Os trabalhadores também defendem que a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) seja de 3 salários mais valor fixo de R$ 3.500.

As propostas de reivindicações foram aprovadas na 11ª Conferência Estadual dos Bancários, realizada no sábado 4, na capital paulista. A pauta aprovada será encaminhada à Conferência Nacional dos Bancários que acontece entre os dias 17 e 19 de julho, em São Paulo. Lá serão apreciadas todas as propostas trazidas pelas federações, que serão convertidas em uma pauta final de reivindicações a ser encaminhada à federação dos bancos (Fenaban).

Em pleno processo de fusão (Itaú/Unibanco, Banco do Brasil/Nossa Caixa e Santander/Real) onde trabalha metade dos 465 mil bancários no país, a proteção ao emprego é umas das prioridades da campanha nacional 2009, juntamente com as reivindicações de aumento real de salários e simplificação da regra da PLR com distribuição maior dos lucros e resultados. O fim do assédio moral e das metas abusivas também está no topo das prioridades apontadas pelos trabalhadores que compõem um das categorias que mais sofrem com doenças ocupacionais, entre elas Ler-Dort e transtornos mentais.

“Vamos levar as preocupações dos trabalhadores ao encontro nacional e defender as reivindicações da categoria na mesa de negociação com a Fenaban, de forma a conquistar pelo sexto ano consecutivo aumento real de salários. Vamos lutar também para melhorar as condições de trabalho nas instituições financeiras e tornar mais justa a distribuição de participação nos lucros e resultados”, disse Luiz Cláudio Marcolino, presidente do Sindicato.

Pesquisa – Levantamento que ouviu 1.500 bancários no estado serviu de base para as decisões da conferência e apontam as expectativas dos trabalhadores. Na pesquisa, o reajuste acima da inflação foi apontado por 62% dos entrevistados como prioridade da campanha, sendo que para a maioria o reajuste de até 10% é considerado o índice ideal. PLR maior e distribuição igualitária (23%), aumento do vale alimentação e da 13ª Cesta (12%) e estabilidade de emprego (12%) também oram apontados como reivindicações prioritárias.

Confira as principais reivindicações
dos Bancários de São Paulo
Índice
Inflação mais 5% de aumento real para os salários e demais verbas de natureza salarial
Auxílio-creche
Salário Mínimo (R$ 465)
PLR
3 salários mais valor de R$ 3.500
Pisos salariais
Valorização dos pisos
PCS
Instituição em todos os bancos, a partir de negociação com representantes sindicais
Remuneração variável
Contratação da remuneração total
e com a incorporação de parte da
remuneração variável aos salários
Novas
conquistas
Ampliação da licença maternidade
para seis meses em todos os bancos

Fonte: SEEB – SP / Elisângela Cordeiro