O volume de operações de crédito fechadas pelo Banco do Nordeste (BNB) cresceu 40,5%, para R$ 8,4 bilhões, no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2008.

O aumento das operações foi puxado principalmente pelas transações de curto prazo e de crédito comercial, que foram ampliadas em mais de 100%.

Segundo comunicado divulgado ontem pela instituição, a intenção do Banco do Nordeste ao longo dos primeiros seis meses de 2009 foi amenizar a carência de outras fontes de recursos que as empresas encontraram com a contração do crédito em meio à crise econômica internacional.

Já as operações de mais longo prazo, que sinalizam investimentos mais pesados, tiveram um crescimento mais modesto no período, de 18,3%, com um total de R$ 5,1 bilhão.

É o caso, por exemplo, das contratações do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que tiveram um aumento de 12,4%, somando R$ 3,9 bilhões no primeiro semestre.

Apesar de representar uma pequena parcela dos contratos de empréstimo fechados pelo Banco do Nordeste, o crédito para as micro e pequenas empresas teve um incremento de 55%, fechando o primeiro semestre em R$ 765,4 milhões.

É o caso também do programa de microcrédito Crediamigo, que teve um crescimento de 43,5%, o que representou um total de R$ R$ 663,8 milhões.

A única operação de empréstimo que encerrou o semestre em queda foi o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com uma redução de 1,5%, para R$ 373,1 milhões.

Fonte: Valor Econômico / Carolina Mandl, do Recife