A Federação dos Bancários RS irá denunciar ao Ministério Público do Trabalho nesta terça-feira, dia 11, o descaso dos bancos quanto às medidas preventivas à Gripe A (H1N1). Na denúncia, elaborada pela Assessoria Jurídica da entidade, a Feeb/RS questiona a falta de iniciativa das instituições financeiras para evitar o contágio de bancários, clientes e usuários.

No dia 21 de julho a Feeb/RS enviou um ofício ao Sindicato dos Bancos RS, salientando que os bancários estão expostos a condições favoráveis à contaminação pelo vírus da nova gripe, pois trabalham em locais fechados e estão em contato com um grande público diariamente. A entidade cobrou das instituições a efetivação de políticas de informação, prevenção e vigilância nos locais de trabalho.

Embora o Sindicato dos Bancos tenha se manifestado solidário à preocupação do movimento sindical, na prática não houve ações concretas de prevenção na rede de agências e postos bancários do Estado. Os trabalhadores continuam sem acesso a máscaras de proteção e produtos de higienização, que são essenciais para evitar a contaminação pela Gripe A (H1N1).

O objetivo da Federação dos Bancários com a denúncia ao MPT é garantir determinação judicial semelhante à concedida em Curitiba. Na capital paranaense, desde segunda-feira, dia 10, as agências bancárias estão sendo obrigadas a monitorar o fluxo de pessoas, permitindo o ingresso de apenas dez clientes a cada quatro caixas.

No caso de agências com cinco a oito caixas é permitida a entrada de 20 clientes. A medida visa a evitar a proliferação do vírus Influenza H1N1 em Curitiba, que concentra 68% dos 784 casos confirmados até agora naquele estado.

Produtos como álcool-gel, máscaras e lenços descartáveis também devem estar à disposição dos clientes e funcionários. Caso alguma das determinações seja descumprida, os bancos pagarão multa diária de R$ 1 mil. A liminar da juíza Ana Maria das Graças Veloso, da 7ª Vara do Trabalho de Curitiba, levou em conta o intenso movimento nas agências bancárias nos primeiros dias do mês e o fato dos bancos privados não terem adotado ações preventivas de forma espontânea.

Veja o avanço da Gripe A (H1N1) no país:

O Brasil já registrou 192 mortes por Influenza A (H1N1). A doença representa 77% do total dos casos de gripe no país. O balanço feito pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira considera os casos confirmados até o dia 9 de agosto.

No boletim divulgado na semana passada, o total era de 96. O maior percentual de mortes ocorreu no Estado de São Paulo, com 40% dos óbitos registrados. Em segundo lugar, está o Rio Grande do Sul, com 23%, seguido do Paraná, com 22%, e Rio de Janeiro, com 12%.

Dados do Ministério indicam que 43% das pessoas que contraíram a nova gripe apresentam pelo menos um fator de risco. Dentre os principais estão pacientes com doenças respiratórias, crianças menores de 2 anos, gestantes, pacientes imunodeprimidos e cardiopatas.

Fonte: Feeb/RS com Ministério da Saúde