Crédito: Seeb CGR
Seeb CGR Jornalistas, estudantes, professores, líderes de movimentos sociais e sindicalistas protestaram nesta quinta-feira, dia 13, no Centro de Campina Grande, na Paraíba, contra a extinção do diploma para exercício do Jornalismo, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). O ato, que contou com a presença de diretores do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, exibindo a faixa com a frase: ‘Sindicato dos Bancários na defesa do diploma e do jornalismo de qualidade’, teve inicio às nove horas, na Faculdade de Comunicação Social, no bairro de São José.

De lá, os participantes saíram em passeata pelas ruas Lino Gomes, Treze de Maio, Vidal de Negreiros e Avenida Floriano Peixoto com apitos, colheres de pau (em alusão ao comentário do presidente do STF, que comparou a profissão de jornalista à atividade de cozinheiro), narizes de palhaços e gritando palavras de ordem como: "Fora Gilmar, diploma já", os manifestantes seguiram até a Praça da Bandeira, onde os sindicalistas alertaram a população quanto às graves conseqüências que o fim da obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo trará para a liberdade de expressão, para a democracia e para a sociedade.

Segundo a diretora de Formação Sindical e Relações Inter-Sindicais, Normaluce Lopes, a iniciativa do Sindicato dos Bancários de apoiar os jornalistas se deu porque a direção entende que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de acabar com a obrigatoriedade do diploma, foi um retrocesso histórico na atividade de jornalismo.

"Não é preciso ser especialista para saber que a educação é o melhor caminho para o desenvolvimento de qualquer sociedade. Estimular o conhecimento é libertar, é curar, é oferecer condições de igualdade. O jornalismo, ainda que com muitas exceções, sempre se propôs como um instrumento de democracia. Democracia esta que se inviabiliza a partir do momento em que a formação é desvalorizada", concluiu Normaluce.

Ao final do ato, os manifestantes também realizaram o enterro simbólico de Gilmar Mendes, relator do processo e do parecer favorável à cassação da obrigatoriedade do diploma para o exercício de jornalismo.

Fonte: Seeb CGR