entrega_minuta_caixa.jpg

entrega_minuta_caixa.jpgO Comando Nacional dos Bancários realizou nesta segunda-feira, 17, a entrega da minuta específica de reivindicações dos empregados à direção do banco. As demandas dos trabalhadores foram recebidas pelo vice-presidente de Gestão de Pessoas da empresa, Édilo Valadares. Os bancários do BB também entregaram hoje ao banco sua pauta de reivindicações (veja mais aqui).

Foi agendada uma reunião para o dia 26 para tratar das pendências do ano passado, especialmente ticket e PCS. Outras reuniões serão agendadas em breve.

"A presença do Comando Nacional demonstra a unidade da categoria, que está preparada para uma forte mobilização nessa campanha salarial", afirma Jair Pedro Ferreira, coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE-Caixa), órgão da Contraf-CUT que assessora o Comando Nacional nas negociações com a empresa.

Na Caixa, entre as principais reivindicações dos empregados destaca-se a implantação do novo Plano de Cargos Comissionados (PCC). As negociações com o banco já vêm ocorrendo, mas a Caixa não cumpriu seu compromisso de apresentar uma proposta até o dia 30 de junho.

Os trabalhadores da Caixa querem um PCC com critérios claros e democráticos para a progressão na carreira e com a devida valorização das funções, além de demandas como: isonomia de direitos entre novos e antigos empregados; ampliação dos direitos dos aposentados; contratação de novos empregados; melhoria das condições de trabalho; respeito à jornada de seis horas; e democratização da gestão.

"A Caixa se comprometeu a avançar nas negociações específicas e esperamos que mantenha o compromisso. Os trabalhadores, principais responsáveis pelos bons resultados do banco, merecem um PCC transparente e digno", afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários. O lucro da empresa chegou a R$ 1,158 bilhão no primeiro semestre deste ano.

Minuta geral

Nesta terça, dia 18, em São Paulo, acontece a primeira rodada de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban sobre a pauta geral de reivindicações de toda a categoria.

Os bancários reivindicam reajuste de 10% (reposição da inflação mais aumento real), PLR de três salários mais R$ 3.850, valorização dos pisos salariais, cesta-alimentação de R$ 465, fim das metas abusivas e do assédio moral, segurança contra assaltos e sequestros, dentre outras demandas.

Fonte: Contraf-CUT