O Banco do Brasil tem meta de elevar de 12% para 25% a participação do segmento de seguros no resultado da instituição. Essa evolução é esperada para os próximos cinco anos.

A informação foi dada ontem pelo presidente da instituição, Aldemir Bendine, ao sair de uma reunião no Ministério da Fazenda. "O BB é rápido e eficiente", afirmou o presidente do banco.

Bendine comentou a reestruturação societária em andamento nas empresas de seguros do grupo e revelou que, para o banco, é difícil escolher apenas uma das três operadoras – Mapfre, Principal e SulAmérica – sócias atualmente.

"Temos de respeitar as especificidades dos nossos sócios", afirmou o presidente do BB. "Qualquer uma das três empresas tem potencial para aumentar ou diminuir sua participação", explicou Bendine.

Quanto ao aumento da participação do Banco do Brasil nessa consolidação da área de seguros, Bendine admitiu que ele pode ser de 40% a 50%, mas fez a ressalva de que, no momento, é difícil estimar.

O mercado de seguros, segundo Bendine, é importante para o Banco do Brasil manter a liderança do ranking dos bancos, porque tem peso expressivo nos resultados do setor. Ele admitiu, porém, que a instituição ainda não tem uma experiência tão boa quanto a de alguns concorrentes nesse segmento.

A briga com o Bradesco, nesse contexto, é inevitável para a conquista de mercado, afirmou. Ele também informou que o BB tem interesse no segmento de seguro imobiliário porque esse mercado é extremamente rico.

Ao comentar o acordo de exclusividade que a Nossa Caixa tem com a Mapfre, por 25 anos, Bendine disse que essa condição está sendo rediscutida agora, porque o Banco do Brasil passou a controlar o banco paulista.

O BB tem participação em seis empresas do mercado de seguros, sendo que no caso da Aliança do Brasil, tem 100% do capital. Na Brasilprev, possui 49,99%, acompanhado de 4% do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e 46,01% da americana Principal Financial Group.

Na Brasil Saúde, o BB tem 49,92%, com 50,05% da brasileira Sul America e 0,03% de minoritários. O capital total da Brasilcap é dividido em 49,99% do BB, 16,97 % da Sul América Participações, 16,67% do Icatu e 0,87% de minoritários. No caso da Brasil Veículos, o BB tem 70% e a SulAmérica fica com 30%.

Na Seguradora Brasileira de Crédito à Exportação (SBCE), a fatia é de 12% no capital total.

Fonte: Valor Econômico / Arnaldo Galvão, de Brasília