Pesquisa feita pela Federação do Comércio e divulgada pelo Jornal da Tarde na última quinta-feira, dia 20, informa que dentre as fraudes realizadas via internet a mais frequente é o desvio de dinheiro de conta corrente. O número reforça dados dos próprios bancos sobre a crescente insegurança nos serviços bancários via intenet divulgados no fim do ano passado.

Apesar disso, e do discurso publicitário de compromisso social, as instituições financeiras em vez de concentrar forças para dificultar a ação dos "hackers" preferem acionar seu lobby no Congresso Nacional para se livrar da responsabilidade.

O levantamento mostra que 37% das mil pessoas consultadas na cidade de São Paulo, coração do sistema financeiro do país, já sofreram algum ataque desta natureza. Problemas com cartões de crédito, cujas empresas gerenciadoras compõem os conglomerados das instituições financeiras, vêm logo a seguir, causando problemas para 24% dos entrevistados.

Indenização

Os bancos preferem pagar indenizações ou reembolsar os clientes a atacar a causa das fraudes e, ainda assim, deixam o correntista na mão quando podem.

Segundo a mesma reportagem, uma consultora de turismo sofreu o ataque e não precisou de mais do que 20 dias para receber o dinheiro de volta. Já uma proprietária de uma administradora de imóveis teve R$ 130 mil desviados em apenas duas horas e, apesar de o banco constatar que houvera fraude, reembolsou apenas R$ 30 mil.

Fonte: Seeb São Paulo