Em visita as agências do Itaú Unibanco, dirigentes sindicais estão constatando falta de funcionários e ouvindo relatos de bancários que denunciam a pressão por metas e sobrecarga de trabalho, entre outros problemas.

De acordo com uma trabalhadora que exerce a função de caixa, a cobrança é constante e deixa os funcionários pressionados. "Nas reuniões, o discurso é: quem não sabe vender vai ter que aprender porque a fila lá fora está enorme com pessoas dispostas a mostrar serviço", diz a bancária que não será identificada.

Segundo a funcionária, o fato de o caixa precisar vender prejudica o atendimento que já está defasado devido à falta de funcionários. "Especificamente na minha agência não está faltando, mas somos obrigados a ceder para outras unidades que estão com esse problema", relata.

A funcionária do Itaú e diretora da Fetec-CUT/SP Aline Molina ressalta que o banco não pode negar o problema. "As evidências estão aí. Basta vermos o ranking do BC das instituições mais reclamadas pelos clientes: o Itaú Unibanco lidera pelo segundo mês consecutivo. Os trabalhadores estão saturados com tanta pressão e cobram solução urgente", diz a dirigente sindical.

Fonte: Carlos Fernandes – Seeb São Paulo