Em reuniões ocorridas na quinta-feira, dia 27, antes e depois da segunda rodada com a Fenaban, em São Paulo, o Comando Nacional dos Bancários avaliou as primeiras rodadas de negociações com os banqueiros, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Foi definido que os sindicatos deverão intensificar as ações junto aos clientes, mostrando os abusos dos bancos que afetam tanto os trabalhadores como os usuários e a população.

"Analisamos a pesquisa de emprego feita pela Contraf-CUT e o Dieese, que revela que os bancos desligaram 15.459 bancários, principalmente em razão das fusões do Itaú Unibanco e Santander Real, e contrataram 13.235 no primeiro semestre, o que representa o fechamento de 2.224 postos de trabalho. É uma inversão do que ocorreu no ano passado, quando houve um aumento de 8.754 novas vagas no mesmo período", denuncia o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional, Carlos Cordeiro.

Para o dirigente sindical, "os bancos estão na contramão do movimento que a economia brasileira está seguindo. Enquanto os demais setores econômicos criaram 300 mil novos postos de trabalho no primeiro semestre com a retomada do crescimento, os bancos, que não sofreram nenhum impacto com a crise, fizeram o contrário. Isso é ainda mais injustificável quando sabemos que o sistema financeiro foi o que apresentou a maior rentabilidade de toda a economia no primeiro semestre, quando os 21 maiores bancos somaram lucro líquido de R$ 14,3 bilhões", aponta Carlos Cordeiro.

"Vamos mostrar aos clientes todo esse descaso dos bancos com o emprego e a rejeição das propostas da categoria na negociação com a Fenaban. Eles negaram garantia de emprego, aplicação das regras da Convenção 158 da OIT e novas contratações para a redução das filas intermináveis nas agências e a melhoria do atendimento", destaca.

A Contraf-CUT vai disponibilizar o Jornal do Cliente para todos os sindicatos e federações. "A hora é de intensificar a mobilização da categoria, buscar o apoio dos clientes e pressionar os bancos para que atendem as justas reivindicações dos trabalhadores", conclui Carlos Cordeiro.

Calendário de negociações

Terça – dia 1º – Segunda rodada específica com o BB
Quarta – dia 2 – Terceira rodada com a Fenaban
Sexta – dia 4 – Segunda rodada específica com a Caixa
Quarta – dia 9 – Quarta rodada com a Fenaban
Sexta – dia 11 – Terceira rodada específica com a Caixa

Fonte: Contraf-CUT