Os bancos que operam no país tiveram R$ 19,3 bilhões de lucro líquido no primeiro semestre do ano, segundo dados do Banco Central. Estudo publicado no mês passado pela consultoria Economática aponta que o sistema financeiro foi o que mais faturou este ano entre todos os setores da economia. Mas a proposta de PLR que a Fenaban apresentou nesta quinta-feira 17 é menor que a do ano passado.

O Comando Nacional dos Bancários passou vários meses este ano discutindo com a Fenaban uma nova fórmula de PLR, que seja mais simples, transparente e justa. A reivindicação da categoria aprovada pela 10ª Conferência Nacional é de participação nos lucros equivalente a três salários mais R$ 3.850,00 fixos. Os bancos apresentaram na quinta-feira uma proposta simplificada de PLR, mas muito inferior ao do ano passado: 1,5 salário para todos, limitado a 4% do lucro líquido e ao valor de R$ 10.000 (o que ocorrer primeiro), mais valor adicional de 1,5% do lucro líquido, com teto de R$ 1.500. E a proposta não fala em antecipação.

"Todos os bancários perdem com essa proposta de PLR. Isso é inaceitável para a categoria e por isso a rejeitamos", afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários. "Se os banqueiros não apresentarem uma nova proposta que contemple as expectativas da categoria, vamos à greve por tempo indeterminado a partir do dia 14."

Veja por que a proposta de PLR da Fenaban é pior do que a do ano passado, nessas simulações preparadas pela Subseção do Dieese do Sindicato de São Paulo.

Como é hoje

Pela regra atual, os bancos têm de disponibilizar no mínimo 5% e no máximo 15% do lucro líquido para os trabalhadores.

Funciona assim: no ano passado foi pago 90% do salário mais R$ 966, limitado a R$ 6.301. Depois disso, foi apurado se o total pago de PLR atingiu o limite mínimo de 5% do lucro líquido. Se não chegou ao percentual, o pagamento foi majorado até chegar a 2,2 salários (até 2007 eram 2 salários), com teto de R$ 13.862. Além disso, dependendo do crescimento do lucro líquido de 2007 a 2008, o bancário recebeu o valor adicional de até R$ 1.980 – pago acima dos tetos e sem desconto de programa próprio.

PLR atual
Faixa
Salarial (R$)
2,2 salários
Parcela
Adicional
Total
2008
1.000
2.200
1.980
4.180
2.000
4.400
1.980
6.380
3.000

6.600

1.980
8.580
4.000
8.800
1.980
10.780
5.000
11.000
1.980
12.980
6.000
13.200
1.980
15.180
7.000
13.862
1.980
15.842
10.000
13.862
1.980
15.842

* Base do lucro líquido R$ 9.171.464.000,00
Elaboração: DIEESE Subseção SESE/Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região

 

PLR atual – regra básica
Faixa
Salarial (R$)
90% + R$ 966 (limitado a 15% do L.L)
Parcela
adicional
Total
1.000
1.866
833,74
2.699,74
2.000
2.766
833,74
3.599,74
3.000

3.666

833,74
4.499,74
4.000
4.566
833,74
5.399,74
5.000
5.466
833,74
6.299,74
6.000
6.301
833,74
7.134,74
7.000
6.301
833,74
7.134,74
10.000
6.301
833,74
7.134,74

Elaboração: DIEESE Subseção SESE/Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região

Proposta da fenaban

Na proposta dos banqueiros a PLR é a soma das seguintes formulações:

A) Pagamento de 1,5 salário até R$ 10 mil, limitado a 4% do lucro líquido do ano de 2009.

B) Pagamento de 1,5% do lucro líquido até R$ 1.500 (adicional).

Os problemas: embora os bancários reivindiquem a valorização da PLR, os bancos apresentaram uma proposta que representa perdas em relação aos valores pagos no ano passado.

Os bancos diminuíram o percentual de distribuição em relação à regra atual de 15% para 4%. O teto de distribuição caiu de 2,2 salários para 1,5 salários.

O limite de pagamento foi reduzido de R$ 13.862 para R$ 10.000.

O valor adicional que no ano passado podia chegar a até R$ 1.980, com a mudança pode atingir no máximo R$ 1.500.

O atual valor adicional é acima dos tetos e sem desconto dos programas próprios. Com a proposta, passa a haver o desconto.

PLR atual – como ficaria com a proposta da Fenaban
Faixa
Salarial (R$)
1,5 salário
1,5% do
lucro líquido
Total
2009
Perda em relação a 2008
1.000
1.500
1.500
3.000
-28%
2.000
3.000
1.500
4.500
-29%
3.000

4.500

1.500
6.000
-30%
4.000
6.000
1.500
7.500
-30%
5.000
7.500
1.500
9.000
-31%
6.000
9.000
1.500
10.500
-31%
7.000
10.000
1.500
11.500
-27%
10.000
10.000
1.500
11.500
-27%

* Base do lucro líquido R$ 9.171.464.000,00
Elaboração: DIEESE Subseção SESE/Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região

 

PLR atual (regra básica) como
ficaria com a proposta da Fenaban
Faixa
Salarial (R$)
1,5 salário (limitado 4% do L.L.)*
proposta sem teto
Redutor**
1,5 do lucro líquido
Total
2009
Perda em relação a 2008
1.000
1.500
244,05
313,27
557,32
-79%
2.000
3.000
488,10
313,27
801,37
-78%
3.000

4.500

732,15
313,27
1.045,42
-77%
4.000
6.000
976,20
313,27
1.289,47
-76%
5.000
7.500
1.220,25
313,27
1.533,52
-76%
6.000
9.000
1.464,30
313,27
1.777,57
-75%
7.000
10.000
1.627
313,27
1.940,27
-73%
10.000
10.000
1.627
313,27
1.940,27
-73%

* Lucro base: R$ 499.522.000,00
** Redutor é a diferença entre o que os bancos gastariam se pagassem a PLR que propuseram e o limitador de 4% do lucro líquido
Elaboração: DIEESE Subseção SESE/Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região

Fonte: Contraf-CUT, com Seeb SP