A paralisação dos bancários em Rio Branco começou forte na manhã desta quinta-feira, com o fechamento de bancos públicos e privados. A decisão de aderir à greve nacional da categoria foi tirada nesta quinta-feira à noite, em assembléia que reuniu mais de 150 trabalhadores, após a rejeição da proposta patronal da Fenaban de 4,5%, pouco menos da metade da reivindicada pelo movimento sindical que é de 10%.

A greve na capital acreana paralisou os serviços dos bancos do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia (agência Rio Branco), HSBC, ABN Real, Banco Itaú (agência Centro), Bradesco (agência Mal Deodoro). Os serviços bancários funcionários apenas em duas agências do Bradesco, uma do Itaú e parcialmente na agência do Banco da Amazônia (Estação).

De acordo com o levantamento da direção do Sindicato dos Bancários do Acre, a paralisação atinge 80% das unidades, com adesão próxima a 70% dos profissionais.

Na tarde desta quinta-feira (24) os bancários de Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Feijó estarão realizando assembléia para votar sobre uma possível adesão a greve nacional. O dirigente sindical Elter Nobre acredita que a paralisação possa atingir algumas agências. A greve desta quinta-feira atingiu as agências bancárias dos municípios de Assis Brasil, Xapuri e Epitaciolândia.

Na avaliação da presidente do Sindicato dos Bancários do Acre, Elmira Farias, a paralisação superou as expectativas e acredita que o movimento pode crescer ainda mais e se espalhar pelo interior do estado. "A paralisação é um motivo encontrado pelos bancários para mostrar sua insatisfação à proposta rebaixada da Fenaban de 4,5% de reajusta salarial", avalia a sindicalista.

Fonte: Manoel Façanha, do Seeb-AC