A paralisação dos bancários em Campina Grande e Região começou forte nesta quinta-feira, dia 24, com o fechamento de todos os bancos públicos e privados. A decisão de aderir à greve nacional da categoria foi declarada na quarta-feira, 23, em assembleia que reuniu grande parte dos trabalhadores.

Dirigentes do Sindicato, delegados sindicais e bancários da base estiveram nas agências bancárias, fazendo um trabalho de convencimento dos colegas para adesão ao movimento.

"É importante que cada bancário, especialmente os que trabalham nas agências do interior e que compõem a base do Sindicato, ajudem a ampliar e consolidar a greve. Só com unidade, pressão e mobilização faremos com que os bancos aretornem à mesa de negociação com propostas que contemplem as reivindicações da categoria. O que eles apresentaram é inaceitável", afirmou Rostand Lucena, presidente do Sindicato.

O Sindicato iniciou um levantamento hoje pela manhã para ter um quadro mais detalhado da greve. A paralisação totalizou 40 agências fechadas. O Sindicato dos Bancários estima que cerca de 464 bancários tenham aderido à greve.

Os próprios bancários podem auxiliar neste trabalho, ligando para informar sobre a paralisação ou não da unidade em que trabalha. O telefone é (83) 3341-4005.

A categoria rejeitou, no dia 17, a proposta dos bancos e, desde então, as negociações não prosseguiram. A pauta nacional dos bancários prevê reajuste de 10%, correspondente ao período de setembro de 2008 a agosto de 2009, participação nos lucros, contratação de funcionários, fim das metas de venda de produtos e aumento do expediente aberto ao público, entre 9h e 17h. No ano passado, houve paralisação de aproximadamente cinco dias entre os funcionários de bancos privados e de 15 dias nos públicos.

Fonte: Seeb Campina Grande