A greve nacional dos bancários entrou em seu segundo dia nesta sexta 25 com a paralisação de agências e concentrações de bancos públicos e privados por todo o país. Em São Paulo, está marcada ainda uma grande caminhada pela Avenida Paulista, com saída marcada para a Praça Osvaldo Cruz, às 15h.

O balanço da manhã registrou a adesão de 23 mil trabalhadores em 330 locais de trabalho, superando o primeiro dia de greve. Pararam as agências da região central, Paulista, zonas norte, sul, leste e oeste. Trabalhadores de concentrações como Verbo Divino e Complexo São João, do Banco do Brasil, Bradesco Alphaville – até as 10h por causa de um interdito – e Centro Administrativo Unibanco (CAU) também estão em greve.

A passeata tem como objetivo é denunciar à população que a péssima proposta dos banqueiros empurrou os trabalhadores para a greve. A caminhada será encerrada em frente à matriz do banco Real, onde fica o presidente da federação dos bancos (Fenaban), Fábio Barbosa.

Brasil

Também estão em greve trabalhadores de todos os estados, das capitais e de diversas cidades do interior. Segundo levantamento feito pela Contraf-CUT, até as 20h na quinta 24, foram 2.881 agências fechadas, além de centros administrativos.

Assembleia

A decisão de greve por tempo indeterminado foi tomada na noite de quarta-feira 23 em assembléia que reuniu cerca de 2 mil trabalhadores na Quadra dos Bancários. No dia seguinte, 24, nova assembleia decidiu manter o movimento.

Fonte: Seeb São Paulo