greve_tumulto_brasilia_28092009.jpg

Crédito: Agnaldo Azevedo/Seeb DF
greve_tumulto_brasilia_28092009.jpg
Seguranças contratados pela Caixa tentaram impedir com truculência que diretores e bancários da comissão de esclarecimento se manifestassem livremente nesta segunda-feira, dia 28, na porta da agência da Matriz I, no Setor Bancário Sul, em Brasília.

Com violência, tentaram arrancar dos bancários as faixas que informam sobre a greve dos bancários e protestam contra a intransigência e abusos dos banqueiros. Além disso, tentaram a qualquer custo impedir o acesso dos diretores à agência para dialogar com os colegas bancários, os clientes e usuários sobre o movimento grevista que entrou no seu quinto dia.

A comissão de esclarecimento não se intimidou nem permitiu que os seguranças da empresa de segurança Patrimonial impedissem, pela força, que exercesse os direitos democráticos de greve e de livre manifestação previstos na Constituição. A muito custo, passando por agressões e empurrões, os dirigentes entraram na agência para desempenhar seu papel.

"Essa orientação para a segurança só pode ter partido da direção da Caixa, confirmando o despreparo dela no trato de questões sindicais e trabalhistas com seus empregados. Estranhamos essa postura numa empresa pública que tem papel fundamental no desenvolvimento de programas sociais do governo federal. Tal orientação, tomada, com certeza, à revelia dos órgãos governamentais, contraria princípios defendidos pelo atual governo democrático popular; afronta os bancários que lutam por justas reivindicações e todas as instituições, como nosso sindicato, que sempre batalharam pelas liberdades democráticas", critica Raimundo Félix, diretor do Sindicato.

Fonte: Seeb Brasília