O clima ficou tenso na agência do Bradesco da Avenida João XXIII, zona Leste de Teresina, nesta segunda feira (28), quinto dia da greve dos bancários. Tudo porque o gerente identificado por Edmundo Pereira chamou a polícia para tentar garantir o acesso dos empregados à agência, alegando que os sindicalistas estavam barrando sua entrada.

Segundo informa o dirigente sindical Flávio Nogueira, por volta das 10h desta segunda-feira, chegaram três viaturas com seis policiais militares. De imediato, entraram para falar com o gerente e, em seguida, se dirigiram aos empregados que estavam do lado de fora da agência. Disseram que, se os bancários quisessem trabalhar, os PMs poderiam garantir a entrada de todos para dentro do banco, mas todos se recusaram a furar a greve da categoria.

Os policiais foram então falar com os dirigentes sindicais que se concentraram em frente da agência, mas foram informados que não fazia sentido a presença da polícia no local, "pois tanto a polícia quanto o gerente estavam errados, uma vez que a greve é pacífica e não estava havendo qualquer tipo de depredação ao patrimônio do banco por parte dos bancários", justifica Flávio Nogueira.

Os policiais permaneceram no local por 40 minutos, aproximadamente, entraram na agência novamente para falar com o gerente e chegaram a conclusão que não havia nada de anormal a ponto de garantir reforço policial.

Para o dirigente sindical, "este tipo de atitude do gerente foi uma forma de pressão para com os empregados daquela agência que se sentiram intimidados a trabalhar, tendo os policiais como garantia para isso, no entanto, resolveram continuar aderindo ao movimento grevista", conclui o sindicalista.

Paralisação

Na avaliação do presidente do Sindicato dos Bancários do Piauí, José Ulisses de Oliveira, a greve no Piauí está cada vez mais forte e os bancários bem mais motivados a continuar o movimento. A novidade, segundo ele, é que mais 20 agências bancárias do interior aderiram à greve nesta segunda-feira, quinto dia de greve geral.

Às 17h, haverá uma nova assembléia na sede do Sindicato para avaliar o movimento de hoje no Piauí e em todo o Brasil.

Fonte: Gilson Rocha – Seeb Piauí