pagamento_servidores_real_30092009.jpg

pagamento_servidores_real_30092009.jpg
Os bancários abrem uma exceção na sua greve para realizar o pagamento da folha do mês de setembro, em solidariedade aos servidores públicos estaduais da Paraíba. Solidariedade esta que não é extensiva ao governo Maranhão, que colocou sua Tropa de Choque, viaturas e policiais militares a serviço do Bradesco, para intimidar os bancários e tentar inviabilizar a greve.

Além de usar a policia, o governo do Estado persegue os grevistas através do Procon Estadual, que insiste em manter 30% dos bancários trabalhando, quando a Lei de Greve prevê apenas a compensação bancária como serviço essencial.

E mais, é bom lembrar que, Maranhão:

=> Em 2001, privatizou o PARAIBAN, vendendo o banco estatal ao próprio Banco Real, a preço de bananas: R$ 94 milhões, com todo seu patrimônio, parque tecnológico e, principalmente, sem passivo trabalhista;

=> Na venda, foi incluída a Caixa de Previdência dos Funcionários do Paraiban (Previban), com um patrimônio de R$ 28 milhões e 1.248 contribuintes, ativos e aposentados;

=> Ao privatizar o Paraiban, provocou a demissão de mais de 500 pais e mães de família paraibanos;

=> Agora, ao assumir o governo, quebrou o contrato com o Banco Real e vendeu a folha de pagamentos do Estado da Paraíba ao Banco do Brasil, por R$ 250 milhões.

=> Além de receber mais dinheiro, vai provocar mais de 300 demissões no Banco Real, em um Estado carente de postos de trabalho e infernizar ainda mais a vida dos funcionários do Banco do Brasil, que já estão no limite da capacidade de atendimento.

Tudo isto nos leva à seguinte reflexão:

=> Por que essa pressa em vender a folha de pagamentos do Estado, agora, se o Banco Real investiu e se preparou durante oito anos para atender bem ao funcionalismo público estadual?

=> Que qualidade de atendimento será dispensada aos servidores do Estado pelos bancários do Banco do Brasil, que já trabalham no limite de sua capacidade?

=> Afinal, quem ganhou com a venda do Paraiban e quem vai continuar ganhando agora com a venda da folha de pagamento do Estado ao Banco do Brasil?

=> Será mera coincidência, esses negócios acontecerem em véspera de ano eleitoral?

=> Ao aprovar a compra da folha de pagamentos do Estado, a direção do Banco do Brasil, com anuência da superintendência estadual da Paraíba, não terá sido no mínimo irresponsável, em virtude do atendimento no BB já ser caótico, com o funcionalismo trabalhando no limite de sua capacidade, portanto, sem condições de absorver a demanda de 120 mil novas contas?

Os bancários estão em greve por melhores salários, condições de trabalho e manutenção dos empregos. O movimento é legal e legítimo, contra a intransigência dos banqueiros e não para prejudicar clientes e usuários.

Portanto, já que o Banco Real montou uma estrutura eficiente em oito anos para melhor atender aos servidores públicos estaduais, os bancários pedem também a solidariedade de todos os servidores públicos: MANTENHAM SUAS CONTAS NO BANCO REAL e não permitam que o governo Maranhão continue a patrocinar o desemprego, a pressão e o assédio moral contra os bancários.

Fonte: Seeb Paraíba