Uma das mais belas demonstrações de força da categoria está sendo dada nesta segunda-feira, dia 5, pelos funcionários da matriz do Bradesco, na Cidade de Deus. São mais de 10 mil bancários de braços cruzados desde as primeiras horas da manhã.

O banco tentou desmobilizar os trabalhadores utilizando um interdito proibitório. Convocou a Polícia Militar para tentar aumentar o constrangimento e pressionar os dirigentes sindicais a retirar as faixas da Comissão de Esclarecimento sobre a greve. Mesmo com toda a pressão, os funcionários permanecem do lado de fora, em frente ao portão principal e a outras entradas da matriz.

"Trabalho no Bradesco há 25 anos e parece que nada muda. Os bancos só entendem o que queremos quando fazemos greve", disse um bancário. Um outro funcionário da matriz foi enfático: "Se não tem resposta do lado de lá, a nossa resposta está sendo dada hoje com essa paralisação".

Para a secretária-geral do Sindicato dos Bancários de São Paulo e funcionária do Bradesco, Juvandia Moreira, a atitude dos bancários da Cidade de Deus, fortalecendo a greve da categoria, mostra a indignação e a revolta de todos com a postura dos banqueiros.

"Eles deixaram claro que estão dispostos a lutar pelo aumento real nos salários, por uma Participação nos Lucros e Resultados maior, por emprego e melhores condições de trabalho. Ou seja, querem ser valorizados e não aceitam a proposta rebaixada dos banqueiros", afirma a dirigente sindical.

Fonte: Seeb São Paulo