Crédito: Seeb Ceará
Seeb Ceará Nesta segunda-feira, 5/10, o Sindicato dos Bancários do Ceará fechou duas unidades do Bradesco, no Centro de Fortaleza. As agências Iracema, localizada na Rua Barão do Rio Branco, e Verdes Mares, à Rua Floriano Peixoto, tiveram o atendimento direto ao cliente paralisado por completo.

Funcionavam apenas os caixas eletrônicos. O objetivo da manifestação do SEEB/CE foi pressionar a direção do banco por uma imediata negociação com os bancários, além de demonstrar o fortalecimento do movimento paredista da categoria, que já está em seu 12º dia de greve.

Para o diretor da entidade e funcionário do Bradesco, Telmo Nunes, a paralisação foi representativa, principalmente porque atingiu a central administrativa do banco. Segundo ele, o Bradesco é o banco que está adotando a postura mais intransigente dentre todos durante a Campanha Salarial dos bancários. "Essa manifestação serve para tentar fazer com que o Bradesco reconheça a importância de seus trabalhadores", ressaltou.

Na ocasião, dirigentes do SEEB/CE se posicionaram às portas das agências, impedindo a passagem de funcionários e clientes, que foram orientados sobre a situação. Além disso, cartazes de "Estamos em Greve" foram afixados, Tribunas Bancárias foram distribuídas para o público e a bandinha tocou as suas tradicionais marchinhas de carnaval. De acordo com o diretor Lucius Spartacus, não houve resistência da gerência da empresa para o fechamento das unidades. "Os funcionários que chegaram foram sendo enviados para outras agências", esclareceu.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, a direção do Bradesco não tem o direito de impedir que os seus trabalhadores entrem em greve por melhorias salariais, condições dignas de trabalho, dentre outras reivindicações justas.

"Os funcionários do Bradesco precisam de garantia para o exercício do direito de greve. Ameaças de demissão não serão superiores ao desejo de avançar nas conquistas. Greve neles!", acrescentou o presidente.

Fonte: Seeb Ceará