Crédito: Seeb Campina Grande e Região
Seeb Campina Grande e Região
Desde o início da greve, os sindicalistas vêm se revezando e intensificando a luta nas agências do Bradesco em Campina Grande. Sempre foi assim, pois os gestores desse banco tentam de todas as maneiras (até desrespeitando a lei) barrar o direito de greve de seus colegas.

E o que é pior, assediam moralmente tanto pelo celular, como através de gestos e gritos de "vamos entrar pra trabalhar", como se os grevistas fossem escravos desprovidos de qualquer direito.

Agência Borborema

Foi o que aconteceu na segunda-feira, 05/10, na agência Borborema. Tentando intimidar os funcionários, o Sr. Roberth Barbosa bradava na sala de auto-atendimento, chamando-os para dentro. Sem nenhum mandato judicial contra o movimento pacífico da categoria, o mesmo queria a todo custo "ganhar no grito". Não conseguindo seu intento, adentrou novamente para a agência. Depois voltou bradejando, tentou colocar a população contra os grevistas.

Agência Centro

Enquanto Robert fazia suas bravatas, o seu colega de função, Renato Xavier, da agência centro, fazia suas manobras. Tentou induzir o Tribunal Regional do Trabalho – 13ª região, dizendo que os grevistas estavam impedindo a entrada de funcionários que queriam trabalhar.

Mas, um oficial de justiça compareceu na unidade e só pode certificar o que o Sindicato já vinha dizendo há tempos: que no local não havia tumulto, e que o movimento transcorria de forma normal e ordeira. A tentativa de Renato para um eventual interdito proibitório foi por água a baixo.

Estes senhores tentam denegrir a imagem do movimento, pressionam funcionários grevistas, tentam enganar a justiça, mas o que eles ‘esquecem’ é que a luta dos bancários pela manutenção dos direitos e por novas conquistas também lhes trará benefícios, assim como para todos os gestores dos demais bancos.

Mesmo com toda a arbitrariedade por parte da administração, os funcionários do Bradesco obtiveram mais uma vitória no décimo terceiro dia de greve, mantendo todas as unidades do banco fechadas em Campina Grande.

Banqueiros não respeitam bancários

As atitudes no Bradesco apenas simbolizam a falta de responsabilidade social dos Bancos, que até o momento não apresentaram uma proposta digna a categoria bancária. Os banqueiros demonstraram na recente negociação que não respeitam os trabalhadores, uma vez que mesmo com lucros exorbitantes se negam a conceder reajuste salarial digno e valorização profissional. Somente no primeiro semestre desse ano o Bradesco lucrou cerca de R$ 4 bilhões.

Enquanto os bancos não retomam as negociações que definem a Campanha Salarial 2009, os bancários intensificam a greve por reivindicações como mais contratações, reajuste salarial de 10%, fim do assédio moral, mais investimento em segurança e garantia de emprego.

Os trabalhadores em Campina Grande continuarão com a paralisação das agências e estão reforçando diariamente o movimento, buscando uma resposta dos banqueiros.

Fonte: Seeb Campina Grande e Região