Crédito: Seeb/ES
Seeb/ES A greve nacional dos bancários também forçou a Caixa Econômica Federal a retomar as negociações da pauta específica de reivindicações dos empregados. Marcada inicialmente para a manhã desta quinta foi adiada para as 15h desta quinta-feira, dia 8, em São Paulo.

Os trabalhadores da Caixa esperam que o banco tenha entendido o recado da greve e atenda as demandas específicas.

Para Jair Pedro Ferreira, coordenador da CEE/Caixa, a expectativa da Comissão é que a proposta do banco esteja de acordo com o que foi apresentado ontem 7 pela Fenaban na campanha geral dos trabalhadores. "Esperamos que a Caixa apresente uma proposta que atenda as expectativas dos empregados, valorizando os salários", afirma Jair Ferreira.

"Na última reunião com a direção da Caixa arrancamos alguns avanços importantes, mas ainda há uma série de pendências que precisam ser resolvidas ou os bancários continuarão em greve", afirma a diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Jackeline Machado.

Entre os avanços já garantidos estão o cumprimento das cláusulas econômicas que forem acordadas com a Fenaban, a criação de comitês para a discussão e resolução de casos de assédio moral, e o acompanhamento pelos trabalhadores dos credenciamentos e descredenciamentos da rede Saúde Caixa.

Além dessas conquistas, os empregados da Caixa Federal querem garantir um novo Plano de Cargos Comissionados (PCC), jornada de trabalho de 6 horas diárias para todos os cargos, isonomia entre os novos e antigos empregados, mais contratações, entre outros pontos específicos.

Fonte: Contraf-CUT, com Seeb/SP