Crédito: Seec Pernambuco
Seec Pernambuco
Em assembleia com cerca de 1.200 trabalhadores na noite de quinta, dia 8, os bancários de Pernambuco aprovaram a nova proposta da mesa geral da Fenaban – Federação Nacional dos Bancos para a convenção coletiva nacional da categoria (foto). A votação pôs fim à greve de 15 dias nos bancos privados.

O acordo coletivo a ser assinado contempla reajuste de 6%, Participação nos Lucros e Resultados que inclui distribuição de 2% do lucro líquido para todos os empregados, igualmente; licença-maternidade de seis meses e isonomia para homoafetivos, dentre outro itens.

Bancos públicos

A greve, entretanto, continua nos bancos públicos, Banco do Brasil, Caixa e BNB, apesar da aprovação da proposta para o contrato nacional. Em assembleia bastante acirrada, os 800 funcionários do BB presentes se dividiram ante a nova proposta do banco, que acabou rejeitada por pequena maioria, por considerá-la insuficiente.

O BB propôs a valorização do piso salarial em 3%, aplicados em todos os níveis do Plano de Cargos e Salários, o que, somado ao reajuste obtido na mesa da Fenaban chega a 9%, o dobro da inflação do período de 01 de setembro de 2008 a 31 de agosto de 2009.

Comprometeu-se também o BB em manter o modelo de participação nos lucros adicional, com 4% de distribuição do lucro líquido também para todos os funcionários. Além disso, o banco se propõe a contratar 10 mil empregados até 2011, sendo metade deles já em 2010. Garante, também, políticas efetivas de combate ao assédio moral, com comitês regionais da qual participam os empregados, via eleição direta, com acompanhamento dos sindicatos.

Caixa e Banco do Nordeste não apresentaram propostas novas, e a continuidade da greve foi decisão unânime das respectivas assembleias.

Fonte: Seec Pernambuco