Em assembléia na noite de quinta, dia 8, os bancários da rede privada da Bahia aceitaram a nova proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), de 6% de reajuste salarial, e decidiram pelo fim da greve nos bancos particulares. Já os bancários da Caixa, Banco do Brasil e BNB decidiram manter a paralisação nesta sexta-feira, dia 9, em toda a base do Sindicato dos Bancários da Bahia.

Nestes bancos, que tiveram adesão massiva ao movimento durante essas duas semanas, as atividades continuam paralisadas até que a negociação tenha resultado positivo. Os bancários da rede pública prometeram intensificar ainda mais a mobilização para garantir avanços nas mesas de negociação e obter um Acordo Coletivo decente, que contemple também a pauta de reivindicações específica dos trabalhadores.

Na terça-feira, dia 13, a partir das 18h, tem nova assembléia no Ginásio de Esporte do Sindicato, na ladeira dos Aflitos, para avaliar o movimento e decidir se a greve continua na rede pública, a depender das rodadas de negociação previstas para este período.

Com data base em 1º de setembro, os bancários decidiram entrar em greve no dia 24 de setembro, em consequência da falta de acordo com os bancos, que após cinco rodadas de negociação apresentaram proposta de apenas 4,5% de reajuste salarial e diminuição da participação nos lucros e resultados. Uma nova proposta foi apresentada na última quarta-feira, elevando o reajuste para 6%, além de oferecer uma participação nos lucros melhor do que a acordada na campanha salarial do ano passado.

Fonte: Seeb Bahia