Crédito: Bancários PA/AP
Bancários PA/AP
Na assembléia desta quinta-feira, dia 8, os funcionários do Banpará decidiram aceitar a proposta da empresa e encerrar o movimento grevista que já durava 15 dias. Antes, à tarde, ocorreu a negociação entre a direção do banco e a comissão dos empregados, onde foi apresentanda uma proposta.

Participaram da negociação, representando as entidades, Alberto Cunha, Odinéa Gonçalves e Érica Fabíola, pelo Sindicato, Vera Paoloni e Sérgio Trindade, pela FETEC CN, Rosalina Amorim, pela CONTRAF/CUT e Kátia Furtado e Cristina Quadros, pela AFBEPA.

Ao final da negociação, por unanimidade, as entidades resolveram indicar à assembléia dos empregados a aprovação da proposta.

Na cláusula de reajuste salarial e demais verbas econômicas, o Banpará seguirá a FENABAN, aplicando o reajuste de 6%. Também seguirá a FENABAN nas cláusulas sociais.

Os bancários do Banpará conquistaram ainda:

– Na PLR, além do modelo da FENABAN (90% do salário + R$ 1.024,00 + 2% do lucro líquido, dividido de forma linear), o Banpará pagará mais 2% do lucro líquido, dividido de forma linear entre os funcionários, o que amplia essa terceira parcela, no Banco, para 4% do lucro líquido;

– Adiantamento de R$ 1.000,00 da PLR ainda em 09/10, a ser compensado por ocasião do pagamento da primeira parcela da PLR. Esse valor será proporcional para os recém admitidos, assim como a PLR;

– 2 tíquetes alimentação extras. Um de R$ 410,00 agora em outubro e outro de R$ 400,00 em março/2010; Fica mantida a 13ª cesta alimentação em novembro, no valor de R$ 289,31.

– Ampliação da licença maternidade para 180 dias;

– Isonomia de tratamento para casais homoafetivos;

– Ampliação do prazo de amamentação para 270 dias;

– Reativação do Comitê de Relações Trabalhistas, onde será tratada inclusive a questão do assédio moral;

– Implantação do novo plano de saúde na vigência do acordo;

– Apresentação do piloto do ponto eletrônico em 180 dias e implantação na vigência do acordo;

– Possibilidade de defesa oral do funcionário no comitê disciplinar;

– Abono integral dos dias parados;

– Não retaliação a qualquer empregado por participar do movimento.

Durante a assembléia de aprovação da proposta, os dirigentes das entidades ressaltaram a disposição de luta dos empregados do Banpará, a solidariedade dos mesmos em relação aos demais bancários, principalmente da rede privada, e a valorização do diálogo conseguido com a direção do Banco e do Governo do Estado. A assembléia aprovou a proposta de acordo por unanimidade.

O Sindicato parabeniza a todos e todas que participaram ativamente do movimento e agradece a confiança dispensada a esta Entidade, que tem buscado cumprir o seu papel na incansável defesa dos direitos dos funcionários do Banpará.

Fonte: Bancários PA/AP