Crédito: Caco Argemi/Seeb Porto Alegre
Caco Argemi/Seeb Porto Alegre
Em assembleias realizadas pelos Sindicatos dos Bancários de Belo Horizonte e Porto Alegre na tarde desta sexta-feira, dia 9, os funcionários do Banco do Brasil aprovaram por ampla maioria a proposta apresentada pelo BB na quarta-feira, dia 7. Os trabalhadores voltam ao trabalho na próxima terça-feira, dia 13, após o feriadão.

Desta forma, os funcionários terão incluído o dia 9 na compensação dos dias parados, conforme o acordo da Fenaban. Os dias de greve serão compensados até o dia 15 de dezembro deste ano, sem qualquer desconto nos salários.

Além disso, a compensação será limitada a duas horas por dia e não pode recair nos finais de semana ou feriado, nem incidir sobre horas extras feitas antes da assinatura do acordo.

Também nesta sexta-feira, a direção do BB reafirmou o compromisso com o debate e implantação de um novo Plano de Cargos e Salários (PCS). O início das discussões ocorrerá em novembro deste ano e o prazo para definição do plano para implantação é junho de 2010. Dentre outros temas serão discutidas as questões relativas à promoção por mérito, jornada de seis horas, sétima e oitava hora etc.

A proposta traz avanços importantes, como a valorização de 3% no piso e manutenção dos interstícios em 3% no atual PCS, e o anúncio da contratação de 10 mil novos funcionários.

O banco ainda mantém o modelo de PLR praticado nos anos anteriores, sendo que para o pagamento do primeiro semestre de 2009 o valor será cerca de 6% menor que o do primeiro semestre de 2008 em virtude do montante a ser distribuído ser equivalente, mas ter aumentado em cerca 9.300 funcionários, elevando o número de beneficiários.

O BB apresentou proposta de cláusula sobre assédio moral, comprometendo-se a implementar o Programa de Gestão da Ética, que tem como objetivo o "combate ao assédio moral e outros eventuais desvios comportamentais". O programa prevê o lançamento de uma Cartilha sobre o tema nos próximos 15 dias. Serão implantados também Comitês Regionais de Ética em todos os estados do País, contando com a participação de funcionário escolhido por eleição direta, acompanhada pelo sindicato local.

O Comando Nacional orientou a defesa e aprovação da proposta, por considerar que ela tem avanços em temas importantes para o funcionalismo, definidos no 20º Congresso Nacional dos Funcionários do BB, tais como valorização do piso e do PCS, debate com o movimento sindical sobre a implantação de novo PCCS, mudança na política de lateralidade, isonomia, contratação de mais funcionários, importante avanço no combate ao assedio moral com a criação dos comitês de ética e reimplantação do SESMT.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb BH e Porto Alegre