A maioria das assembléias dos funcionários do Banco do Brasil realizada na quinta e sexta-feira, dias 8 e 9, em todo o país, aprovou a proposta do banco e encerrou a greve nacional deflagrada no dia 24 de setembro. Também os funcionários do Banco Regional de Brasília (BRB) decidiram terminar a paralisação, voltando ao trabalho após o feriado. Os bancários da Caixa mantém a greve por tempo indeterminado, assim como os trabalhadores do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Banco da Amazônia e Banco do Estado de Sergipe (Banese).

Nesta sexta, decidiram voltar ao trabalho na próxima terça os bancários do BB de Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Pernambuco, Ceará, Piauí e Sergipe. Os bancários de São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba, Mato Grosso, Campinas, Pará, dentre outras bases sindicais, já haviam aceitado a proposta do banco na quinta e retomaram suas atividades. Nesta segunda 13, retornaram as atividades os bancários do BB na Paraíba. Maranhão, entre outras bases, seguem rejeitando a proposta.

A proposta específica apresentada pelo BB ao Comando Nacional dos Bancários, em negociação realizada no último dia 7, traz avanços importantes, como a manutenção do modelo vigente de Participação nos Lucros e Resultados, o compromisso do banco de discutir com o movimento sindical uma proposta para o Plano de Cargos e Salários (PCS), valorização de 3% no piso e manutenção dos interstícios em 3% no atual PCS, e contratação de 10 mil novos funcionários até 2011 e 5 mil adolescentes aprendizes. O banco se comprometeu também a criar comitês de ética para o combate ao assédio moral, entre outros itens.

Greve continua na Caixa

Indignados com postura da direção da Caixa Econômica Federal, os empregados entram na próxima terça-feira, 13 de outubro, em seu 20º dia de greve nacional. Os trabalhadores irão intensificar ainda mais a paralisação para pressionar a empresa a atender as reivindicações específicas.

Na rodada de negociação ocorrida na última quinta-feira, 8, em São Paulo, os representantes da Caixa não apresentaram uma proposta que contemple as expectativas dos empregados. Nenhuma nova reunião foi agendada.

Fonte: Contraf-CUT