Crédito: Seeb Porto Alegre
Seeb Porto Alegre
Os empregados da Caixa Econômica Federal que compareceram à assembleia desta quarta, dia 14, decidiram seguir a orientação do Comando Nacional dos Bancários e manter a greve por tempo indeterminado em Porto Alegre. Nova assembleia ocorre nesta quinta, às 17h, na Casa dos Bancários.

Reunidos no auditório da Casa dos Bancários, os trabalhadores avaliaram a mobilização, que continua em todo o país, e a proposta apresentada pela direção ao Comando Nacional na terça. Também foi informado que Florianópolis, São Paulo e Distrito Federal decidiram seguir em greve.

A mesa, formada pelo presidente do SindBancáiros, Juberlei Baes Bacelo, o diretor financeiro do SindBancários, Tiago Pedroso, os diretores Francisco de Assis Magalhães e Henrique Wierzchowski, ressaltou a força da greve em nível nacional, que pressionou a Caixa a chamar o Comando e apresentar uma nova proposta.

Nesta quinta, a ideia é de que todos os empregados comparecem ao prédio Querência, na Praça Alfândega, a partir das 9h, e reforcem os piquetes diários e a continuidade dos protestos contra a truculência da Caixa para com os seus empregados.

"A Caixa está vacilando e sentiu o golpe da greve, fruto de nossa luta e não da sua bondade, por isso direção se mexeu e chamou a reunião. Nossa paralisação é muito forte. Diante disso, o Comando indica a manutenção da greve", avaliou o presente Juberlei.

Logo após foram abertas intervenções para os participantes da assembleia. Em votação, os empregados votaram pela continuidade da greve.

Assédio moral e desconto dos dias parados

A Caixa está ameaçando cortar o ponto dos trabalhadores em greve. A mesa esclareceu que o Sindicato observou todos os preceitos para que a greve aconteça.

Também foi informado que o acordo da Fenaban prevê a compensação dos dias até 15 de dezembro de 2009 e não poderão ser descontados, a exemplo da Convenção Coletiva de 2008. Além disso, a compensação será limitada em duas horas ao dia e não pode recair nos finais de semana ou feriado, nem incidir sobre horas extras, férias, abonos e outros benefícios. A Caixa concorda em compensar os dias até 18 de dezembro.

Fonte: Imprensa/SindBancários