Crédito: Seeb São Paulo
Seeb São Paulo
Encerrada a greve nacional nos bancos privados, a Contraf-CUT se reúne na próxima terça-feira, dia 20, com a direção do HSBC, em São Paulo, para discutir o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) aos bancários, diante dos provisionamentos feitos no balanço do primeiro semestre deste ano que reduziram brutalmente o lucro líquido do banco inglês.

"Segundo os números que o próprio HSBC lançou no balanço, o lucro foi de cerca de R$ 2,1 bilhões no primeiro semestre, porém quase R$ 1,9 bilhão desse montante o banco afirma que deixou provisionado para despesas que possam vir a ocorrer. Assim, o lucro líquido que foi publicado caiu para R$ 249,761 milhões", explica o diretor da Contraf-CUT, Sérgio Siqueira.

"Não aceitamos que o trabalhador, responsável pelos bons resultados do banco, seja mais uma vez sacrificado pelos ajustes feitos no balanço. Queremos valorização para os bancários, como sinal de reconhecimento pelo seu empenho e dedicação", ressalta o dirigente sindical.

O presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino, também não aceita a tentativa do HSBC de "driblar" os bancários no pagamento da PLR. "Queremos discutir o montante que será distribuído aos trabalhadores a título de PLR", salienta.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo