Em mais um dia de paralisação, os empregados da Caixa do Mato Grosso continuam fazendo atos de protesto nas agências. Nesta sexta-feira, dia 16, a ação foi realizada na agência Prainha, localizada na avenida Tenente Coronel Duarte, no Centro de Cuiabá.

O ato teve como objetivo esclarecer a população acerca das reivindicações dos trabalhadores e a continuidade da greve. Nessa oportunidade os bancários denunciaram a atitude truculenta da Caixa Econômica Federal que ajuizou um dissídio contra seus empregados.

Essa decisão do Banco prolonga a paralisação nas agências. Isso porque, a Caixa se nega a negociar com os funcionários. Assim como os bancários do restante do país, os empregados da Caixa em Mato Grosso votaram pela continuidade da greve em assembleia realizada no dia 14 de outubro.

A maioria dos trabalhadores decidiu manter a greve por tempo indeterminado por entender que a proposta apresentada pela empresa é insuficiente e não atende minimamente as reivindicações dos empregados.

Os trabalhadores optaram desde o primeiro de paralisação pela negociação com a CEF, sendo que o Comando Nacional dos Bancários está de plantão em Brasília, aguardando que a Caixa reveja sua postura e tenha capacidade de negociar.

"O empregado Caixa deve ser valorizado pela empresa. O melhor espaço para se discutir e encontrar um espaço para essa valorização é na mesa de negociação. Optar pela intransigência e recursos jurídicos é negar os espaços democráticos para a busca de soluções para a campanha salarial", disse o presidente do SEEB-MT, Arilson da Silva.

"Queremos valorização, mais contratações e respeito por parte da direção da Caixa. A resposta dos trabalhadores enquanto isso, é a manutenção da greve. Vamos permanecer em greve enquanto não houver proposta", argumenta.

Durante o ato, foi decidido o envio de uma carta à presidenta da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, relatando a insatisfação dos bancários em relação ao dissídio e solicitando novas negociações.

Fonte: Seeb MT