A grande maioria das assembleias de bancários em todo o país decidiu manter a greve na Caixa Econômica Federal nesta sexta-feira, 16. Com isso, a paralisação entra em seu 23º dia e com pique em todos os 26 estados e no Distrito Federal, conforme mostra o levantamento da Contraf-CUT com informações dos sindicatos e da Fenae.

Em assembleia realizada no dia 14 de outubro, os empregados da Caixa e o sindicato dos bancários de Mato Grosso (Seeb-MT) avaliaram a proposta apresentada pelo banco como insuficiente. Por conta disso, os trabalhadores decidiram manter a greve por tempo indeterminado, até que a empresa apresente uma proposta que contemple minimamente as reivindicações dos funcionários. Em Mato Grosso os empregados da Caixa realizam ato público às 10h30 desta sexta, em frente a agência Prainha (em Cuiabá), em protesto contra a ausência de resposta digna da empresa.

Em uma atitude de intransigência e desespero, a CEF manteve sua aposta no conflito ao ajuizar, na noite desta quinta-feira (15), o dissídio coletivo junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). O Comando Nacional dos Bancários e a Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) repudiam a atitude da empresa de buscar a intermediação da Justiça e reafirmam seu compromisso com o processo de negociação coletiva para a resolução do impasse entre empregados e patrões.

"A medida demonstra o desespero da direção da Caixa que, além de não apresentar uma proposta que atenda às reivindicações de uma PLR mais justa, isonomia de direitos, melhores condições de trabalho e mais contratações, busca a Justiça como forma de tentar resolver a campanha salarial 2009", avalia Jair Ferreira, coordenador da CEE/Caixa.

O movimento sindical sempre foi contrário à interferência da Justiça do Trabalho nas negociações coletivas por entender que o processo de diálogo é o melhor caminho para resolver todos os conflitos.

Nesta sexta-feira, os advogados da Contraf-CUT irão ao TST para buscar informações sobre o conteúdo do pedido de ajuizamento feito pela Caixa. O Comando também se reúne hoje, desde às 9 horas, em Brasília, para avaliar os próximos passos da greve.

A orientação é pela continuidade e fortalecimento do movimento em todo o país para pressionar a Caixa a retomar as negociações e apresentar uma proposta que atenda às expectativas dos trabalhadores.

Fonte: Seeb MT