sábado, maio 30, 2020
Home > Notícias do Sindicato > Câmara dos Deputados adia votação de reajuste dos aposentados

Câmara dos Deputados adia votação de reajuste dos aposentados

Mesmo com mais de 500 aposentados sentados nas galerias do plenário da Câmara dos Deputados, desde as 14h de quarta-feira, dia 4, à espera da votação do reajuste para aqueles que ganham mais de um salário mínimo, a apreciação do projeto que trata da assunto foi adiada mais uma vez. Isso porque o relator da Medida Provisória nº 466, deputado João Carlos Bacelar (PR-BA), travou a pauta da casa ao pedir prazo de uma sessão para apresentar seu parecer sobre o texto que trata do setor elétrico.

"Apoiamos a reivindicação dos aposentados, que tanto contribuíram para o país e agora merecem ser reconhecidos", diz o presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino. "Quando discutimos a política de recuperação do salário mínimo, houve um compromisso de fazer também um acordo permanente para corrigir as demais aposentadorias acima do mínimo. O momento chegou", disse Marcolino, que também destaca a defesa pelo fim do fator previdenciário.

O presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), concedeu prazo de uma sessão. "Não há como negar o pedido do relator, que é regimental." Ao pedir o adiamento, Bacelar fez elogios aos aposentados, mas ressaltou que não tinha como dar o parecer às emendas do Senado à MP. "Essa MP é a mais importante do setor elétrico brasileiro."

Como a MP 466 está trancando a pauta, nenhuma outra matéria poderá ser votada antes dela. Com isso, a votação do reajuste dos aposentados foi adiada. Os trabalhadores inativos ouviram o relator e o presidente da Câmara em silêncio, mas, em seguida, gritaram diversas vezes para que os deputados votassem o reajuste. Depois, cantaram o Hino Nacional.

Fonte: Seeb São Paulo