assembleia_santander_ppr.jpg
assembleia_santander_ppr.jpgOs bancários do Santander aprovaram nesta terça-feira 9 o acordo aditivo e o Programa de Participação nos Resultados (PPR), negociados com a instituição financeira durante os últimos cinco meses. Em assembleia realizada na sede do Sindicato dos Bancários de São Paulo, os funcionários do banco espanhol disseram sim ao pacote de novas conquistas que já é considerado o melhor acordo fechado com o Santander nos últimos anos.

"Foram muitas idas e vindas nas negociações, mas tivemos um final bastante positivo, com a renovação e ampliação do acordo aditivo, principalmente no que diz respeito às cláusulas sociais, além de melhorarmos consideravelmente nosso PPR", comenta Rita Berlofa, diretora do Sindicato e coordenadora da mesa de negociação. Rita destaca que o acordo aditivo e o PPR só foram possíveis de serem conquistados graças à pressão dos bancários.

"As negociações entraram num impasse no final do ano e só conseguimos avançar graças à mobilização dos funcionários, que participaram das atividades de protesto organizadas pelos sindicatos em todo o país. Com uma grande jornada nacional de lutas, conseguimos ampliar nossas conquistas", finaliza Rita.

PRINCIPAIS CONQUISTAS DO ADITIVO E DO PPR

PPR maior – Programa de Participação nos Resultados de R$ 1.250, um reajuste de cerca de 80% sobre os R$ 700 pagos em 2009. Este valor deverá ser compensado dos programas próprios e será creditado junto com a PLR no próximo dia 19.

Para o ano que vem, o PPR será ainda maior: R$ 1.350, no mínimo. As entidade sindicais garantiram que o Santander não compensará a PLR com a renda variável como a convenção coletiva permite e os bancos privados procedem.

Prêmio de dois salários – Extensão do direito para todos que fizerem 25 anos de banco, inclusive os oriundos do Santander que já tinham completado antes de 1º de janeiro de 2009. O banco aceitou a proposta da representação dos bancários e pagará um salário em março de 2010 e outro em janeiro de 2011.

Incentivos à aposentadoria – Prorrogação do "pijama" e do abono indenizatório até 31 de agosto de 2010.

Licença não remunerada – Licença de até 30 dias sem vencimentos, como é na Espanha, para quem tem um parente de primeiro grau com problemas de saúde.

Ampliação do auxílio-educação – Aumento de 1.250 para 2 mil bolsas de estudo, no valor de 50% da mensalidade com teto de R$ 350, e manutenção das atuais bolsas concedidas aos funcionários do Real, respeitando os critérios vigentes, como a não-reprovação.

Renovação de todas as cláusulas – Preservação das conquistas do atual acordo aditivo, com a extensão dos direitos para todos os funcionários do grupo. A vigência é de dois anos, até 31 de agosto de 2011.

Entre os direitos estão o intervalo de 15 minutos dentro da jornada de 6 horas, a ampliação da licença-amamentação para 270 dias e a manutenção do Comitê de Relações Trabalhistas.

Os benefícios foram corrigidos pelo índice de 6% obtido pelos bancários na campanha salarial de 2009. Para o ano que vem, a correção será pelo índice que vier a ser conquistado pela categoria em 2010.

Cabesp e Banesprev – Renovação dos termos de compromisso de manutenção do patrocínio do Santander, com grupo de trabalho consultivo.

Licença-adoção aos pais – Cinco dias consecutivos, sendo no mínimo três dias úteis, conforme reivindicação dos bancários.

Abono de ausência para funcionários com deficiência – Ampliação do direito de se ausentar do trabalho para a aquisição de aparelhos.

Fonte: Seeb São Paulo