O Santander Brasil comunicou nesta terça-feira, dia 9, à Contraf-CUT que efetuará o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) na folha de fevereiro, que será credita na sexta-feira da semana que vem, dia 19. O banco espanhol calculou os valores com base no balanço apurado pelas normas contábeis brasileiras, cujo lucro líquido foi de R$ 4,361 bilhões em 2009.

Desta forma, cada funcionário receberá:

regra básica da PLR: 90% do salário mais R$ 1.024 com teto de R$ 6.680 com majoração de 18,52% do salário, elevando o teto para R$ 7.917 (descontada a antecipação de 54% do salário mais R$ 614 com teto de R$ 4.008 paga em outubro de 2009);

adicional da PLR: R$ 1.852 (descontada a antecipação de R$ 677 paga em outubro de 2009), que corresponde à distribuição de 2% do lucro líquido entre todos os funcionários do banco.

"Essa fórmula da PLR mostra o acerto da greve nacional dos bancários de 2009, quando os banqueiros queriam reduzir a PLR dos trabalhadores e o enfrentamento não só garantiu o percentual de distribuição dos lucros como ainda melhorou o adicional", destaca o secretário de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr

"Entretanto, mais uma vez, o Santander não utilizou o balanço apurado pelas regras internacionais e amplamente divulgado na mídia para acionistas, investidores e sociedade, cujo lucro líquido foi de R$ 5,508 bilhões no ano passado, o que garantiria maior PLR aos bancários", critica.

"Reiteramos a reivindicação das entidades sindicais de que o Santander passe a usar também o balanço com base nas regras internacionais para o pagamento da PLR, como forma de valorizar o empenho e a dedicação dos trabalhadores, os principais responsáveis pelo enorme lucro do Santander no Brasil, que representou 20% do lucro mundial de 8,943 bilhões de euros no ano passado, o segundo maior lucro da história, acima das expectativas da direção do grupo espanhol", ressalta o diretor da Contraf-CUT.

Fonte: Contraf-CUT