Na tentativa de arrombar dois caixas eletrônicos de dentro de um supermercado, um trio acabou explodindo a entrada do estabelecimento e acordando moradores de Igrejinha, município de 31 mil habitantes do Vale do Paranhana, no interior do Rio Grande do Sul na madrugada de quarta-feira (10). O estrondo provocado pela explosão foi tão forte que assustou até mesmo os bandidos, que abandonaram o local em disparada, sem levar nada.

O relógio marcava 1h11min quando o empresário Jorge Henkel, 50 anos, sentiu a casa tremer. Vizinho de um dos maiores supermercados da cidade, o Unidão, ele levantou da cama e abriu a janela. Logo percebeu que toda a vizinhança fazia o mesmo:

– Ainda vimos três homens correndo dentro do pátio do supermercado. Um deles gritava: "Corre, corre, que foi feio o negócio" .

Câmeras de vigilância registraram o momento em que o trio abriu o cadeado do portão, quebrou um vidro do supermercado e colocou o explosivo. Em menos de dois minutos, a explosão fez com que os três saíssem correndo.

Além de errar na medida do explosivo, os assaltantes também não contavam com um velório em uma capela localizada na esquina do supermercado e esqueceram dos alarmes de carros e casas que dispararam em conjunto no instante da explosão. Além dos vizinhos, uma família inteira que participava da cerimônia fúnebre saiu para a rua para ver o que acontecia.

Estrondo foi ouvido a quatro quilômetros de distância

A quatro quadras dali, soldados da Brigada Militar sentiram o quartel estremecer. Em seguida, 15 ligações foram atendidas, uma atrás da outra. Eram os moradores da região central e de pelo menos outros três bairros, em um raio de quatro quilômetros de distância.

No bairro Saibrera, o dono de uma pastelaria deparou com o Palio Wekeend usado na ação passando em alta velocidade em frente à casa dele. Eram os assaltantes se desfazendo de veículo clonado. Era a tentativa dos assaltantes de atrapalhar o trabalho da perícia.

Para não deixar digitais, os bandidos espalharam o pó do extintor de incêndio dentro e fora do carro. Mas pelo caminho deixaram o extintor e uma touca ninja, materiais que segundo a Polícia Civil, podem identificar os três assaltantes.

No supermercado, o forro, a fiação e as luminárias foram ao chão. Carrinhos para deficientes tiveram os ferros retorcidos. Os estilhaços de vidro foram jogados para todos os lados, mas os caixas eletrônicos permaneceram intactos.

Fonte: Zero Hora