Os funcionários do Banco do Brasil estão convocados para, na sexta, dia 19, a partir das 12h, participarem de manifestação por um Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) mais justo. O ato, que ocorre em frente ao BB da rua Uruguai, em Porto Alegre visa pressionar a instituição a evoluir nas negociações sobre o assunto.

Na Campanha Salarial de 2009, o BB se comprometeu a implementar um novo PCCS até 30 de junho de 2010. Entretanto, o banco não tem se mostrado muito flexível às reivindicações dos bancários, e as discussões não vem evoluindo o suficiente.

O movimento sindical acredita que está na hora da mobilização ser intensificada, para que o banco se sinta pressionado a apresentar, até o prazo final das negociações, propostas efetivas e que contemplem as necessidades dos bancários.

Critérios para PCCS

Os principais critérios que precisam compor o PCCS devem contemplar:
– Valorização no PCS da antiguidade e do mérito considerando a incorporação das comissões.
– Adoção da jornada de 6 horas para todos os funcionários.
– Adoção de normas definidas para analisar, avaliar e classificar os cargos comissionados.
– Metodologia mais transparente para evolução na carreira e garantia de seu cumprimento.
– Promoção da progressão horizontal e vertical.

Histórico

A demanda dos bancários por um novo plano de carreira data de 1997, quando, em um dos maiores ataques aos trabalhadores do BB, o governo FHC retirou o antigo PCS. Na sequência, o banco implantou o modelo de VRs, criando pisos por cargos e diminuindo a importância das comissões.

Depois de muita pressão dos trabalhadores, o banco concordou em 2003 em criar um Grupo de Trabalho para discutir as premissas de um novo PCS/PCC, que funcionou até o ano seguinte sem que houvesse acordo.

A última movimentação do banco sobre o tema aconteceu em 2007, quando a direção tentou implementar um modelo restritivo de PCS de forma unilateral, rejeitado pelo funcionalismo.

Plano odontológico

Outro assunto que vem recebendo a atenção do movimento sindical é o Plano Odontológico do BB. A instituição havia se comprometido, através de acordo assinado com a Contraf-CUT, a apresentar o Plano até o final de janeiro, entretanto o termo foi descumprido.

É uma atitude inaceitável da direção do BB, que demonstra desrespeito para com o funcionalismo. O cumprimento do acordo também será reivindicado pelos bancários no dia 19.

Fonte: SindBancários Porto Alegre