A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) participou de audiência com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Gilmar Mendes, junto ao Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), representantes da Defensoria Pública da União e demais entidades envolvidas, na quarta, 24 de fevereiro, para tratar da ADPF 165.

A ADPF 165, ajuizada pela Consif (Confederação Nacional do Sistema Financeiro), tem por objetivo suspender e posteriormente decretar improcedente o ressarcimento aos poupadores das perdas ocorridas nas cadernetas de poupança na época de implementação dos planos econômicos (Bresser, Verão e Collor).

"Mesmo com a atuação dos bancos contra os poupadores, continuaremos defendendo seus interesses, lutando para que recebam tudo o que tem por direito", afirma Mirian Fochi, secretária de assuntos jurídicos da Contraf-CUT.

Acompanhe clicando aqui o andamento do processo.

Idec

Todos os atuais Ministros do Supremo Tribunal, com exceção do Ministro Toffoli, já decidiram em favor do poupador, mais de uma vez. "No caso do Plano Verão, foram quase duas centenas de decisões", ressalta Maria Elisa Novais, gerente jurídica do Idec. "Estamos confiantes na Suprema Corte do país. Acreditamos que o direito dos poupadores, que lutam há quase 20 anos, será confirmado. As milhares de decisões já proferidas pelos tribunais do país serão respeitadas", completa Marilena Lazzarini, membro do Conselho Diretor do Idec.

Fonte: Contraf-CUT, com Idec