O presidente do Banco Regional de Brasília (BRB), Ricardo Vieira, em reunião com toda a diretoria do conglomerado e o corpo gerencial, anunciou na tarde de segunda-feira, 1º de março, o resultado do banco no ano de 2009. O lucro foi de R$ 190,5 milhões (R$ 118,7 milhões no segundo semestre).

Na ocasião, o presidente anunciou que a PLR do segundo semestre e o abono serão pagos no próximo dia 10. Ao final, comunicou sua saída do cargo.

Este é o melhor resultado do BRB desde sua fundação e representa um retorno sobre o patrimônio de 32,7%, colocando o BRB como um dos bancos mais rentáveis do sistema.

"Este resultado confirma o que o Sindicato sempre defendeu: o BRB é um banco público viável, com retorno empresarial e à sociedade", diz Antonio Eustáquio, funcionário do banco e secretário de Imprensa do Sindicato dos Bancários de Brasília.

"Este resultado demonstra ainda o compromisso profissional e a competência dos funcionários do BRB, que, a despeito de várias adversidades, demonstram, na prática, que fazem a diferença. Com melhores meios, produtos e taxas, informática eficiente, mais pessoal, e planejamento estratégico compartilhado, com respeito e motivação, que são responsabilidades de uma diretoria profissional à altura do Banco de Brasília, a tendência é ser ainda melhor", destaca André Nepomuceno, funcionário do BRB e secretário-geral do Sindicato.

PLR do segundo semestre

Com o resultado divulgado nesta segunda, o montante a ser distribuído aos funcionários a título de PLR será de aproximadamente R$ 15,3 milhões, o que corresponde a 13% do lucro, dos quais 6,5% de modo linear.

De acordo com o modelo para distribuição do lucro do segundo semestre de 2009, e considerando ainda que o percentual de atingimento das metas foi, em geral, de 90%, o menor valor a ser distribuído, para os escriturários, será de aproximadamente R$ 4.800.

Este valor somado ao abono de R$1.250, negociado com o Sindicato como forma de reconhecimento pelo esforço para o atingimento deste lucro, e também em função da mudança na forma de pagamento da PLR, totaliza aproximadamente R$ 6.000. É seguramente a maior PLR paga em todo o sistema financeiro.

Considerando que os valores são crescentes, a depender da função ocupada no banco, caixas, assistentes, gerentes etc. terão valores a receber maiores do que este.

Mudanças na direção do banco

Na mesma reunião, o presidente Ricardo Vieira anunciou sua saída da presidência do BRB, ficando em seu lugar, interinamente, o atual diretor financeiro Eloir Cogliati.

O Sindicato reitera que, para qualquer mudança na direção do BRB, o atual governador, Wilson Lima (PR), deve levar em consideração a capacidade, competência e comprometimento dos funcionários do próprio banco.

Desta forma, o Sindicato espera ainda que, na esteira das mudanças ocorridas no BRB, em função das mudanças políticas no GDF ocasionadas pelos desdobramentos da operação Caixa de Pandora, o banco abra espaço também para uma investigação autônoma sobre denúncia contra o diretor de mercado Francisco Soares.

Ele foi indicado diretamente por Arruda e chamado pelo MPF para a produção de prova testemunhal, bem como citado pela imprensa como suposto partícipe da tentativa de suborno ao jornalista Edson "Sombra", que ocasionou a prisão do governador afastado. É necessária medida preventiva, para que não paire dúvida sobre a diretoria do BRB, sustentando a confiança de que realmente há mudanças.

Diante das circunstâncias gravíssimas, toda suspeita deve ser profundamente apurada, ou esclarecida de público, e todos que têm realmente compromisso com a instituição BRB devem demonstrar que não se regem pelo "apego" aos cargos de direção. O Sindicato solicitará imediatamente reunião com o novo presidente.

Fonte: Seeb Brasília