A Contraf-CUT e o Itaú Unibanco retornam à mesa de negociação nesta sexta-feira, 6, em São Paulo, para discutir a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Inicialmente agendado para a terça-feira, dia 2, o encontro foi adiado a pedido do banco.

O movimento sindical reivindica o pagamento integral da PLR para todos os bancários, alcançando o teto de 2,2 salários limitado a R$ 14.696. A regra estipulada pelo banco definiu o pagamento da PLR no teto a apenas 46% dos trabalhadores, que estão na faixa salarial de até R$ 2.836.

Na última reunião, realizada na segunda-feira, dia 1º, os representantes dos trabalhadores solicitaram ao banco informações sobre o montante dos empregados que receberam o valor integral da PLR e o total do bônus pago aos executivos.

Esperamos que, além destes dados, a empresa traga para a mesa uma disposição real de negociar uma solução para o pagamento da PLR que contemple todos os trabalhadores", avalia Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e funcionário do Itaú Unibanco.

Fonte: Contraf-CUT