Dirigentes da Central Única dos Trabalhadores e do SESI (Serviço Social da Indústria) se reuniram na manhã desta terça-feira (2) na sede da CUT, para assinar um termo de cooperação do projeto ViraVida. Clique aqui para ler

O plano criado pelo SESI tem como objetivo oferecer inclusão a adolescentes de 16 a 21 anos com foco na elevação da escolaridade e na geração de emprego e renda.

A ação visa enfrentar um problema grave do Brasil. Segundo Estudo Analítico do Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Brasil, divulgado pela UNB (Universidade de Brasília) em 2005, 36% dos municípios brasileiros registram exploração sexual comercial de crianças e adolescentes.

No mundo inteiro, cerca de 2,5 milhões de pessoas seriam vítimas desse crime, um milhão apenas no continente latino, segundo projeções da ONG Coalizão Contra o Tráfico de Mulheres e Meninas na América Latina.

O presidente da CUT, Artur Henrique, explicou que a entidade atuará em duas frentes: promover a articulação com as centrais internacionais para divulgar a campanha e discutir com as entidades sindicais cutistas a importância de inserir a pauta nas conversas com as empresas.

"Devemos aproveitar o crescimento que os setores de comércios e serviços terão no Brasil inteiro, graças à realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, para negociar parcerias com os empresários visando a integração no mercado de trabalho pessoas", disse.

De acordo com o Secretário de Relações Internacionais da Central, João Felício, o próximo passo é estabelecer uma rede de marketing ampla. "Iremos nos reunir com a CSI (Central Sindical Internacional), com sindicatos europeus e com as entidades internacionais dos ramos da CUT para dar início à divulgação maciça desse projeto", comentou.

Formação com base no mercado – Presidente do Conselho Nacional do SESI e ex-presidente da Central, Jair Meneguelli, explicou os objetivos do ViraVida. "Nossa intenção é resgatar a auto-estima dos adolescentes e preparar para o mercado de trabalho.

Além do curso profissionalizante que dura de 10 a 12 meses, oferecemos a esses adolescentes acompanhamento psico-social, atendimento médico e à família e uma ajuda de custo mensal de R$ 500, dos quais R$ 100 ficam retidos em um poupança para ser entregue aos estudantes após a conclusão do curso", afirmou.

Meneguelli apontou ainda como os empresários serão beneficiados. "Trata-se de um trabalho de convencimento, de trazer parceiros para essa conversa. Porém, não como um favor, porque formaremos profissionais para atenderão às necessidades das empresas", disse, acrescentando que os cursos oferecidos tem como base as principais demandas do mercado.

A estrutura – O projeto ViraVida surgiu em julho de 2008 e oferece cursos com carga horária média de 800 horas, incluindo aulas de educação básica e profissional, cidadania, saúde, doenças sexualmente transmissíveis, orçamento familiar e empreendedorismo.

Atualmente, 440 jovens e adolescentes de cidadãs litorâneas das regiões Norte e Nordeste do Brasil (Fortaleza, Recife, Natal e Belém) são atendidos. Em agosto de 2009 teve início a segunda fase da experiência piloto, que chegará a Salvador, Brasília, Teresina, João Pessoa e outras cidades.

Fonte: Luiz Carvalho – CUT